13.7k
LEITURAS

NUTRIÇÃO,SAÚDE

Alimentação do gato renal

Rochele Prass

Rochele Prass
28/05/14

Quando o gato tem o diagnóstico de insuficiência renal, a maioria dos veterinários recomenda a mudança da dieta para uma ração terapeutica, a chamada ração renal. Com menores níveis de  proteína, fósforo e sódio, o objetivo dessa dieta é diminuir a sobrecarga nos rins e, portanto, desacelerar a progressão da doença.

O grande problema é que o gato renal fica, naturalmente, com menor apetite (aliás, a anorexia ou apetite seletivo é um dos sintomas da doença). Além disso, essas rações  são menos palatáveis. Ou seja, soma-se a diminuição do apetite com um alimento menos saboroso. Incomodação na certa. E alguns gatos, pelo que vejo nos relatos do grupo Insuficiência Renal Felina, simplesmente não aceitam a dieta.

O desespero dos tutores de gatos renais com a inapetência é uma constante. Em casa, tenho potinhos para medir as quantidades exatas e mínimas recomendadas por dia. Se come menos, sinal de alerta. E, claro, os alimentos específicos custam muito mais que uma ração de qualidade normal, de qualquer marca super premium. E, como se não bastasse, até encontrar a marca que o gato quer gastamos pequenas fortunas experimentando marcas ou simplesmente tendo um pouco de cada uma em casa.

A experiência conta que essa acaba sendo a melhor solução – embora dispendiosa. Comprar pacotes com menores quantidades, trocar amostras são boas alternativas para não afetar muito o bolso…

Pluto comendo - gato renalPluto se alimentado

Mas uma coisa é certa: o gato não pode ficar sem comer. As dicas que eu dou nesse sentido é sempre conversar com o veterinário e analisar o que é mais adequado para o caso. Estimulante de apetite, mudar a marca da ração ou mesmo fazer o rodízio, lembrando que alguns gatos não aceitam a mudança de ração. Além disso, vale analisar se o gato deve voltar a comer a ração costumeira ou mesmo fazer uma mudança gradual.

O Pluto, quando voltou a comer – já superando a crise que nos levou ao diagnóstico de IRC, iniciou direto na ração renal. Até hoje alternamos períodos em que ele toma estimulante de apetite e meu coração sempre se enche de alegria quando o vejo comendo.

Também vale investir na paciência. Muitos felinos se sentem mais estimulados a comer quando o dono está por perto e este é um bom investimento… Eu aconselho, pela minha experiência, que vale ficar alguns momentos do dia com o gato ao lado do potinho, fazendo carinho e estimulando que ele coma mais um pouco.  E vale lembrar: o gato renal é um gato especial… A falta de apetite está longe de ser frescura.


Cadastre-se no Petiko e veja os prêmios gratuitos que o Petiko tem para seu pet.

Veja mais artigos do Petiko: