1.5k
LEITURAS

COMPORTAMENTO

Controle comportamental do cachorro – Parte 1

Rafael Meireles

Rafael Meireles
04/05/15

Rafael Meireles dá dicas de como se trabalhar o controle comportamental do cachorro.



Nossos cães são muito mais do que o Winters, Speirs, Rambo, Rock, Hércules, Thor e muitos outros nomes e “personagens” que associamos em nossa mente. Em nossa cabeça, costumamos construir uma doce armadilha que é o fato de esperar do nosso cão o comportamento correto, sempre!

Esquecemos que eles são animais e, assim sendo, certas reações, sentimentos e emoções fogem ao nosso controle.
Estes problemas vão desde correr atrás de carros, correr atrás de crianças, de outros cães, até ameaçar alguém que chega perto de nós e assim por diante.



Controle comportamental do cachorro

Muitos destes problemas estão ligados a energia acumulada, ou seja, o cão vive em um quarto ou num sitio, mas de maneira confinada. Sem estímulos, brincadeiras, vive parado e apenas vendo o tempo passar.
Por outro lado, mesmo quando trabalhamos todas as necessidades do cão, ele apresenta certos comportamentos estranhos e ruins. Considero como ruim qualquer comportamento que possa nos deixar embaraçados diante de outras pessoas, que nos coloque em encrenca ou que coloque o cão em perigo.

Nos dois modos, temos problemas comportamentais. Isso se torna pior cada vez que o cão consegue, através do comportamento ruim, conquistar o que deseja. Ex: Um cão que pula e o dono passa a gritar e gesticular para que ele não pule, conseguiu o que queria. A atenção e “festa” por parte do dono.



Controle comportamental do cachorro

Muitas vezes pensamos estar dando bronca ou corrigindo, na verdade, estamos alimentando o comportamento ruim do cão.

Para começar a resolver o problema, precisamos dividi-lo em etapas e compreender:

O Problema: O que o seu cão de fato faz? Pense, anote ou descreva o problema para você mesmo ou alguém que vive o problema junto com você. (Esta é uma boa hora para terapia de casal)

Motivo: O que desencadeia o comportamento? A presença de outro cão? O som da campainha? Uma pessoa?

Frequência: Com que frequência ele tem o comportamento ruim?

Consequência: O que você tem feito para cessar o comportamento?

Controle: O que você pode fazer para tentar o controlar o cão enquanto ele esta no processo de reeducação?



Controle comportamental do cachorro


Quando você responder estas perguntas, o problema será mais claro e as soluções também irão aparecer e em etapas.
Nesta etapa também é importante compreender que você deve criar meios para evitar que o cão repita o comportamento ruim.

Se o seu cão não gosta de outros cães, evite uma aproximação exagerada ou estabanada. Se o seu cão odeia o carteiro, não o amarre do lado de fora da casa antes do cara chegar ou coloque uma guia para que ele não pule quando as pessoas chegarem.

Previna e evite o comportamento ruim enquanto você esta treinando um comportamento substituto.

E este será o assunto do meu próximo artigo, criando um comportamento substituto.

Até lá, preencha as perguntas acima e reflita sobre o problema ou os problemas que você esta enfrentando.

Veja aqui a segunda parte!

Um grande abraço, Rafael Meireles




Veja mais artigos do Petiko: