1.8k
LEITURAS

COMPORTAMENTO

Controle comportamental do cachorro – Parte 2

Rafael Meireles

Rafael Meireles
19/05/15

Nessa segunda parte, Rafael Meireles dá exemplos de como se deve trabalhar o controle comportamental do cachorro.


No último post (veja aqui) você aprendeu a identificar a raiz dos problemas comportamentais que você enfrenta com o seu cão. Agora iremos trabalhar para substituir o comportamento ruim por algo positivo. Para isso, você precisa reforçar um comportamento positivo e ignorar o comportamento negativo. Para começarmos, experimente reforçar um comportamento que seu cão tenha facilidade de reproduzir mesmo em ambientes com grandes distrações.


Controle comportamental do cachorro


Analise com cuidado o que leva o seu cão a reproduzir o comportamento errado. Por exemplo, um cão que come chinelos costuma tirar alguém do sério e levar algumas broncas por isso. Porém, quando o cão esta brincando corretamente, nenhuma pessoa liga ou cria algum estímulo para positivo para reforçar o comportamento correto. O que temos então é um cão que recebe estímulos somente quando ele come chinelos, logo, ele irá reproduzir este comportamento.

Eliminar o que esta reforçando um comportamento ruim é um passo fundamental para fazer o cão trocar o comportamento ruim por um bom. Em muitos casos, o que ocorre é apenas uma inversão de valores.

Para mudar o comportamento que já se tornou um hábito, você precisa reforçar assiduamente o comportamento adequado. Cães fazem o que eles percebem que funciona.


Controle comportamental do cachorro


Ensinar um comportamento correto ao cão resolve muitos problemas de uma única vez, já que ele não consegue fazer duas coisas ao mesmo tempo.

Na prática

O problema

O Speirs, meu cão, detesta que qualquer pessoa o pegue no colo. Não sei por medo ou algum desconforto causado pelo tamanho dele, gerando insegurança, o fato é que o Speirs detesta ser pego no colo.
Ele não chega a morder para valer, mas faz muito barulho e assusta quem estiver por perto, além de gerar ansiedade no Winters.

O que eu fiz?

Por 10 vezes peguei ele no colo, não me importando com o rosnado ou com a vontade dele.

O que dei em troca e quando?

Um petisco de ração toda vez que ele não rosnava e eu percebia que ele estava relaxado em meus braços.

Fazendo isso eu mostrei que não iria liberar ele apenas por conta do rosnado e mordidas, ao invés disso, dei a ele uma opção, ficar calmo e tranquilo. Assim ele é recompensado e solto.

Com a repetição o cão irá associar este comportamento. Se mais pessoas convivem com o cão, convide para que elas participem ou o cão irá gravar que deve obedecer somente a você.

O mais importante, neste ponto eu não precisei corrigir ou dar broncas como punição. Eu tratei o problema previamente, antes mesmo dele errar e mostrei qual o comportamento que eu esperava.

O problema

Meu cão pula demais quando eu chego em casa.

O que fazer?

Treine a chegada em casa usando uma guia no cão ou algo que impeça que ele possa pular.

Ao chegar, antes de entrar em casa peça para o cão sentar e entre somente quando ele estiver tranquilo. Ao entrar e perceber que o cão esta tomando posição para pular, coloque sua mão na frente dele e sinalize para ele sentar.

Se funcionar, bonifique o cão e repita este exercício mais vezes até estar mais seguro.

Caso o cão esteja muito ansioso, pise na guia para impedir que ele pule até você, quando ele relaxar e sentar, bonifique o cão e reforce este comportamento.

O que dou em troca?

Lembre-se, o petisco deve ser algo que ele goste muito ou diferente da ração que você fornece todos os dias para ele.


Controle comportamental do cachorro


Legal? Então agora você consegue pensar e criar um comportamento positivo que substitui o comportamento errado.

No próximo post iremos falar sobre punições.

Rafael Meireles



Veja mais artigos do Rafael no Petiko: