1.8k
LEITURAS

COMPORTAMENTO

Controle comportamental do cachorro – Parte 3

Rafael Meireles

Rafael Meireles
29/05/15

Nesse último artigo da série sobre o controle comportamental do cachorro, Rafael Meireles fala sobre punições.


Antes de começar a ler esse artigo, você pode conferir aqui a parte 1 e a parte 2.

Um papo sobre punições

“Como humanos que somos, estamos totalmente convencidos de que, para mudar um comportamento, temos que aplicar algum tipo de punição para eliminar completamente um comportamento inadequado.
Na verdade, nenhum animal, incluindo o homem, responde bem a punições. Apesar de ter feito parte do adestramento de cães durante décadas, a punição não é uma maneira apropriada nem eficaz de treinar os animais de estimação a ter um bom comportamento.

As nossas cadeias estão cheias de pessoas que foram punidas pela lei, as nossas estradas também estão cheias de motoristas que foram punidos inúmeras vezes por multas de velocidade, manobras arriscadas e outras infrações. Tudo bem, neste caso você pode me dizer que baixamos muito o número de mortes em nossas estradas graças as multas e outras punições.

Eu insisto que não, você apenas aprendeu a infringir a lei melhor do que antes. A punição apenas te ensinou a dirigir melhor em alta velocidade ou a cometer melhor outras infrações. Agora você decorou a posição dos radares, fica mais atento aos carros e postos de policia e virou um expert em evitar multas. Em nenhum momento você se tornou mais prudente ou cauteloso por conta da punição.

Cães são animais oportunistas, você pode agredi-lo ou amedronta-lo pensando que esta controlando um comportamento. Na mente dele, ele esta apenas analisando os seus padrões e esperando uma oportunidade para atacar você ou outra pessoa. E acredite, isso vai acontecer no momento em que ele julgar como certo, basta apenas uma oportunidade.

A punição só tende a piorar as coisas, ela pode reprimir um certo comportamento negativo, mas não ensina e nem oferece outra opção para o cão. Fora isso, a punição pode desencadear a agressividade em um animal. Através dela o cão pode aprender que apenas irá conseguir as coisas com base na força e ataque.

A punição é tardia, exatamente por isso ela não ensina nada. No momento em que ela é aplicada, o cachorro já manifestou o comportamento indesejado e não pode mais desfazê-lo.

Punir o cão que esta pulando em visitas não vai fazer com que ele sente na frente delas na próxima vez, na verdade você estará mostrando ao cão que algo ruim acontece quando alguém chega em sua casa. Isso pode fazer o animal ter medo de qualquer visita.


Legal, o que devo fazer ao invés de punir?

Paciência e tempo é o segredo desta questão.

Ao invés de punir o cão por mau comportamento, você pode dar um comando e uma recompensa caso ele atenda. Caso você não tenha treinando nenhum comando com o animal e, por exemplo, o cão esteja latindo de forma enlouquecida para outro cão, apenas use a guia para tira-lo daquele local e se afaste um pouco. Quando o cão parar de latir crie um comando curto, algo como “QUIETO”. Fale a palavra e bonifique ele com algum petisco.

Este comando deve ser treinado previamente e ser muito simples. Na hora de iniciar uma mudança de hábito do seu cão, você deve planejar tudo antes. Ensine um comando chave, como o “QUIETO”, para o cão sentar e voltar o foco para você ou qualquer outra coisa neste sentido, que faça ele ficar parado, calmo e prestando atenção em você.

controle comportamental do cachorroFaça com que o cão mantenha o foco em você!


O momento para utilizar o comando deve ser analisado com muito cuidado, se ele parar de latir mas continuar olhando fixamente para o outro cão, com a boca fechada e com a musculatura tensa, significa apenas que ele parou de latir mas ainda quer brigar com o outro animal.

O cão deve relaxar, passar a olhar para você, a boca deve estar aberta, língua para fora e com uma respiração normal. Neste estado você deve bonificar o animal e parabenizar. O próximo passo, neste caso, seria se aproximar mais um metro do outro cão e, se o seu cão começar a latir novamente, não regrida, apenas faça todo o processo e dê o comando “QUIETO”, quando ele parar de latir e relaxar, bonifique e assim até conseguir se aproximar mais do outro cão.

Nestas situações a recompensa também é uma estratégia importante. Se o seu cão esta acostumado com os mesmos biscoitos de sempre, experimente trocar o petisco. Quando o comportamento que o seu cão apresenta é algo repetido por ele durante muito tempo, é preciso de um forte estímulo para que o cão entenda que o novo comportamento correto deve substituir o antigo. Nestes casos, ao invés de usar biscoitos, experimente um pequeno pedaço de carne ou salsicha.

Claro, use petiscos especiais somente em casos especiais, se você acostumar o animal com estes petiscos mais “refinados”, em pouco tempo ele irá precisar de outra coisa mais refinada ainda.


Então, redirecione o comportamento

Muito melhor do que usar punições ou corretivos, redirecione o comportamento do animal para algum comando praticado por você anteriormente. No exemplo anterior, ao invés de deixar o cão latindo até a exaustão, redirecionamos para o comando “QUIETO”, onde o cão deve sentar e ficar quieto prestando atenção em você e não no que esta ao redor dele, então será recompensado.

Porém, tome muito cuidado no momento de redirecionar este comportamento, quanto mais o cão entrar num estado de raiva e latidos, mais difícil vai ser colocar a mente dele num estado calmo e submisso novamente. Neste estado de fúria, seria o mesmo que tentar acalmar uma pessoa furiosa apenas com palavras como “Fique calmo meu bem”. Você irá apenas piorar o estado de frustração e raiva da pessoa.

É muito importante que você observe o comportamento do seu cão em todas as situações, a qualquer sinal de tensão, desde as orelhas levantadas em estado de alerta, boca fechada, olhar focado ou qualquer outra coisa que não seja o estado natural do animal, acione o comando treinado para que ele fique quieto, se acalme e volte o foco para você.


controle comportamental do cachorroNesta imagem o cão poodle esta incomodado com a investida do filhote de ACD para cheirar e conhecer. A boca fechada, o olhar esta focado no filhote, musculatura tensa como podemos ver a partir das orelhas que estão postas levemente para trás. Este seria um bom momento para chamar os dois e fazerem relaxar antes de deixar com que o processo de conhecimento volte naturalmente e de forma menos tensa.


Quanto antes você perceber isso, mais fácil será para corrigir o comportamento e também para ensinar ao cão qual o comportamento correto.

Quando animais e pessoas estão num estado de fúria, a mente não esta no momento para receber informações, aprender e armazenar. Já no estado submisso e calmo, a mente esta apta para receber, armazenar e aprender com base em novas informações.

Tomado este cuidado, execute as repetições. Não é fazendo uma única vez que o seu cão irá aprender, principalmente quando o comportamento é algo tenso como o relacionamento com outros cães.

É preciso repetir e repetir por dias e dias seguidos até que você perceba que o cão comece a demonstrar o comportamento de forma natural.

É importante você entender que, durante o tempo de treinamento do novo comportamento, você não deve deixar o cão voltar a demonstrar o antigo comportamento.

Por isso mesmo é importante você entender que durante o período de treinamento, portões, grades, guias, caixas e cercados devem ser os seus melhores amigos para evitar que o cão continue a demonstrar o comportamento ruim.

Uma última dica sobre punições

Se você punir um cão por rosnar, ele pode parar de rosnar e passar direto para a mordida, sem aviso. A punição pode tornar o animal ainda mais perigoso, pois pode fazê-lo parar de dar algum sinal de que esta se sentindo desconfortável e simplesmente partir para a mordida.

Legal? Um grande abraço!

Rafael Meireles



Veja mais artigos do Rafael Meireles no Petiko: