5.0k
LEITURAS

COMPORTAMENTO

Estou vendendo meus dois cães

Rafael Meireles

Rafael Meireles
10/11/15

Vende-se Winters e Speirs, dois boiadeiros australianos.


Se você entrou aqui pronto para me esculhambar ou pronto para me fazer uma oferta, saiba que você não tem nada que possa me oferecer pelo Winters e o Speirs.

Não, eles não estão a venda e este post é um protesto sobre como algumas pessoas simplesmente se desfazem de seus animais sem o mínimo de cuidado ou compaixão.

Ontem, através da página do Winters, eu recebi um protesto da nossa leitora Helen Oliveira. Ela me mostrou prints de uma conversa em uma comunidade de fãs da raça, onde uma pessoa estava tentando se desfazer de um ACD (Australian Cattle Dog) fêmea, com três anos de idade, aparentemente saudável e feliz, pelo simples fato do animal não ter se adaptado as ovelhas e também não ter gerado nenhuma cria até então.

Nós poderíamos passar o dia discutindo sobre se o fato de um cão não se adaptar as ovelhas e ser agressivo é motivo para ser colocado para fora de casa. O ACD é um cão pastor, se não for educado e treinado ele pode sim tornar-se agressivo. Um cão deste tipo não foi feito para ser colocado com outros animais e ser “deixado” para se acostumar, isso não existe e é uma negligência absurda. O que existe é o trabalho duro para treinar o cão a obedecer os seus comandos e trabalhar somente com um tipo de animal que você permitir. Ele deve ser treinado para trabalhar. Se você for colocado, sem treinamento, para trabalhar em uma máquina apenas porque o seu pai era bom nisso, fatalmente você irá se machucar ou machucar alguém. Porque com o cão seria diferente? Ele entende que existe um bando de animais que devem ser controlados, mas não sabe exatamente quando parar e quando começar, cabe a você ensina-lo a ter controle.

Expulsar o cão me parece muito com os fazendeiros Australianos que escolheram tentar exterminar o Dingo ao invés de usar a cabeça. Numa clara escolha pela alternativa “mais fácil” do que pelo trabalho correto a ser feito, fizeram uma imbecilidade sem tamanho, quase extinguindo o animal da face da terra.

Obs: Para quem não sabe, os Dingos são os cães selvagens australianos que deram origem aos Australian Cattle Dogs. Saiba mais.

vendendo meus dois cãesDingo



Poderíamos passar o dia discutindo também sobre o fato do cão ser expulso porque não conseguiu “pegar” nenhuma cria, visto que, em fazendas, animal que não da lucro da prejuízo e deve ser morto ou tirado de lá.

Um animal que pode tranquilamente ser um cão da companhia, proteção e diversas outras utilidades que existem para um cão como o ACD, merece mais do que ser classificado como produtivo ou improdutivo.

Entendo o ponto de vista do negócio, mas também entendo que existe pessoas cuidando de dez, quinze ou vinte cães. Seria demais manter um cão a mais? E um cão saudável e em plena capacidade de trabalhar, servir e proteger com lealdade.

Mas, em minha opinião, o pior de toda a discussão foi esquecido ou ao menos pouco falado. O fato de ser um ACD com três anos da idade nos mostra que é um cão adulto, formado e com seus costumes enraizados. O ACD não é o tipo de cão que aceita ficar pulando de galho e galho, é um cão de um único dono e ele pode voltar-se contra outra pessoa, caso não tenha sido socializado corretamente.

Já tive contato com casos em que uma pessoa doou um ACD e o casal que o recebeu e foi atacado pelo animal logo no primeiro dia, simplesmente porque as pessoas acreditam que um cão de três anos e um de três meses são a mesma coisa. Chegou em casa, basta mandar fazer xixi, dar bronca, comida e água que tudo esta bem.

O ACD pode não aceitar ordens do novo dono e se o novo dono não tiver experiência com este tipo de cão, a coisa pode ficar pior. Na mente do animal ele esta fora do território seguro dele, sendo assim ele esta em alerta máximo, podendo atacar qualquer pessoa que ele considere estranho. E se esta pessoa tiver crianças?

Pouco tempo atrás, na página do Winters, eu recebi inbox uma oferta de doação porque uma pessoa não estava satisfeita com o fato do seu ACD não aprender alguns comandos.

Eu nem preciso dizer o tamanho do sermão que eu passei e o quanto me segurei para ser educado. Acabou que consegui convence-la a deixar de ser um completo lunático.

No final das contas, no pior cenário, quem irá sofrer é o cão. Ele pode ser abandonado, deixado em alguma esquina do mundo ou viver preso e acorrentado porque é um cachorro “ruim”.

vende-se-caes



A responsabilidade de ter um cão passa por analisar se você pode ter este cão e as consequências caso algo saia errado. Você deve saber o que fazer para solucionar o problema e não apenas tentar vender ou doar o animal. Claro que, em último caso, é melhor doar o animal do que mantê-lo sofrendo. Mas este não era o caso, tratava-se de uma fazenda e de um lugar ideal para o cão viver.

Da mesma forma que apenas a morte irá me separar dos meus filhos. Apenas a morte irá me separar do Winters e do Speirs.

E olhe lá, porque me disseram que ACDs não morrem nunca, ficam por ai, para sempre ao nosso lado.

Rafael Meireles



Veja mais artigos do Petiko: