21.8k
LEITURAS

SAÚDE

Fluidoterapia não precisa ser pavor dos gatos renais

Rochele Prass

Rochele Prass
16/05/14

Gatos com problemas renais: dicas para não tornar a fluidoterapia um trauma para seu bichano.


Um dos pontos chave do tratamento do gato com insuficiência renal crônica é a fluidoterapia. Muitos pets com esse problema recebem a recomendação do médico veterinário para fazer soro regularmente, em intervalo de tempo determinado conforme cada caso. O objetivo é repor a hidratação, equilíbrio de eletrólitos e diminuir a concentração de substâncias nocivas no organismo.

O soro pode ser aplicado em casa, desde que o veterinário assim oriente. Na minha opinião, as vantagens são basicamente a diminuição do stress, já que não é preciso levar o animal ao veterinário seguidamente, praticidade e economia, porque sai muito menos caro.

O Pluto teve a recomendação de fazer diariamente no início e depois uma vez a cada dois dias. Os veterinários me encorajaram e me ensinaram  e a primeira aplicação, claro, foi sob supervisão. A questão é que eu moro sozinha e segurar o gato, espetar a agulha e aplicar o soro era bastante desafiador, além do desafio maior de saber como mexer naqueles apetrechos estranhos: equipo, agulha tubo de soro….

FluidoterapiaPluto – Foto de Pedro Quintana



Uma coisa que aprendi com a série “Meu Gato Endiabrado” (com o Jakson Galaxy do Animapl Planet) é que todo gato tem um “botão mágico”. Paciência (muuuuita paciência), carinho e talvez alguma coisinha gostosa para ele comer ajudam bastante. É preciso fazer associações positivas. Sempre que o gato faz soro, coisas boas acontecem e isso é legal começar desde o início.

Hoje, a parte mais tranquila de tudo é o soro. O Pluto é bastante colaborativo e até ronrona durante a aplicação. Mas no começo ele tentava fugir, miava e rosnava um pouco. Então, o prendia na janela pela peiteira, para ficar com as duas mãos livres. Aos poucos, foi acostumando e percebi que solto, sem coleira, ficava mais tranquilo. Escolhi a janela, porque é um lugar que ele gosta e fica mais distraído. Tentei em outros lugares, para segurá-lo, mas a janela sempre foi a melhor opção.

As coisas ficaram nesse nível de serenidade quando comecei a associar o momento a coisas que ele gosta. A escova é a minha melhor amiga – chamo de escovaterapia. Converso, faço carinho e elogio. Primeiro monto tudo, depois levo o gato e trato de deixá-lo tranquilo, com carinho e escova. No início, fazia isso com o equipo na mão, porém sem espetar. Equipo = carinho, escova e atenção a ele.

Uma regra básica para mim é só iniciar o procedimento  quando o Pluto está totalmente tranquilo e percebo que faz toda a diferença. Deixo o abre e fecha do equipo perto da agulha para dar mobilidade e, assim que espeto, abro o soro e retomo o carinho ou escova rapidão. Chegamos num nível em que nem preciso segurá-lo. Às vezes, fica sentadinho olhando para a rua enquanto recebe o soro.

Mas, indo às dicas práticas, uma lista de sugestões que eu dou,  com base na minha experiência:

  • Faça as primeiras aplicações sob supervisão do veterinário. O procedimento é simples, mas, para quem não é da área, é preciso ter bastante segurança para que nada dê errado. A segurança do animal está em primeiro lugar
  • Encontre o lugar ideal para o gato, onde ele se sinta confortável. Isso faz toda diferença e ajuda a criar as associações positivas. No meu caso, escolhemos a janela. Ele fica distraído, olhando para a rua
  • Acostume-o a ver os apetrechos de soro como algo legal (sem ainda espetar). Associações positivas… Descubra o “botão mágico”: pode ser a escova, carinho, uma comida que ele goste bastante
  • Não tenha pressa e controle a ansiedade. O gato percebe que algo estranho está acontecendo. Então, a dica é esperar o bichano ficar confortável e então iniciar o procedimento

Confira também a possibilidade de usar Catnip ou Feliway, um feromônio sintético que é indicado para dar segurança e tranquilidade aos gatos.

No grupo Gatos com Insuficiência renal, é comum ouvir relatos de tutores que simplesmente não conseguem ou deixam de conseguir fazer a aplicação depois de um tempo. Entretanto, se o veterinário indica a fluidoterapia, ela será fundamental para a qualidade de vida do gato e para desacelerar a evolução da doença. Cada caso, é um caso. Então, converse com o veterinário longamente sobre o assunto, peça dicas e invista bastante em detalhes que deixem o gato tranquilo. Conosco, funciona super bem!

Acompanhe o grupo sobre gatos com insuficiência renal no Facebook.

Faça parte do Petiko: poste fotos do seu bichano, tire dúvidas e ajude outros membros da comunidade. Cadastre-se agora

Veja mais artigos do Petiko: