17.0k
LEITURAS

SAÚDE

Queda de pelos em gato

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas
07/09/15

Dra. Laila, uma das maiores especialistas em felinos do Brasil, fala tudo o que você precisa saber sobre queda de pelos em gatos.


O verdadeiro nome ao problema de queda de pelos é chamado alopecia e não é considerado um diagnóstico, mas sim um sintoma de várias dermatoses (doenças de pele).


O que é normal

Difícil estabelecer quando a queda de pelos nos gatos deixa de ser normal, mas é importante os proprietários saberem que quedas generalizadas sem falhas na pelagem (área alopécicas) são normais em algumas épocas do ano, especialmente no calor.

Isso se deve à troca de pelagem comum nesses animais.


O que não é normal

Regiões da pelagem com falhas, as chamadas áreas alopécicas não são normais nunca, e é preciso levar o gatinho ao veterinário sempre que isso ocorrer, pois somente ele é capaz de estabelecer um diagnóstico e um tratamento.


Algumas causas de alopecia

#1 Micose

Uma das causas mais comuns de queda de pelos em gatos é a micose, mais especificamente a dermatofitose, causada por fungos (Microsporum, Thricophyton ou Epidermophyton) que acometem a pele, pelagem e unhas desses animais.

Nos gatinhos, o Microsporum canis é o fungo mais comum causador da dermatofitose e as lesões de pele costumam ser circulares e localizadas. Nos gatos essa doença raramente causa prurido (coceira) e é uma zoonose, ou seja, nós humanos podemos nos contaminar com esse fungo.

#2 Dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP)

Infestação por pulgas é algo muito comum nos gatos e alguns são alérgicos à saliva da pulga. Esses animais podem ter grandes áreas sem pelos, principalmente nas costas (região lombo-sacra) e na cauda. Apenas uma pulga é capaz de causar um quadro acentuado de prurido, não sendo necessária a presença de grandes infestações. Além disso, o gato se lambe muito naturalmente e acaba ingerindo as pulgas, o que dificulta mais ainda a visualização desse parasita.

#3 Alopecia psicogênica

Outra causa de alopecia relativamente comum nos bichanos é a alopecia psicogênica, onde o próprio animal arranca seus pelos com os dentes ou se lambe excessivamente por causas psicológicas, geralmente o estresse.

Nesses casos as falhas na pelagem costumam ocorrer no abdômen, lateral das costas e membros (exceto mãos e pés, pois dói mais para arrancar os pelos dessas regiões) e frequentemente são alopecias simétricas.

O auto traumatismo pode ser tão acentuado que depois da alopecia o animal pode começar a ter lesões significantes e não somente falha nos pelos.

#4 Dor

Apesar de não ser tão comum é importante alertar que alguns gatos podem ter quadros de alopecia sem necessariamente ter um problema de pele ou psicológico. Esses animais podem ter dor localizada e a manifestação é a lambedura excessiva, causando, consequentemente, falha nos pelos.

Alguns exemplos são dores nas articulações do quadril, causando falha nos pelos nessa região e dores abdominais (ex. cistite), causando falha nos pelos do abdômen.

#5 Alopecias sem prurido

Ainda podemos citar duas outras causas de alopecia nos gatos, mas que não são observadas com frequência. São elas a hipotricose congênita e o eflúvio telógeno.

A hipotricose congênita é uma condição rara onde um ou mais filhotes de uma ninhada nasce sem pelos ou perde grande parte deles antes do primeiro mês de vida. Apesar de não causar nenhum desconforto ao gato é preciso tomar cuidados com a pele exposta, especialmente com relação aos raios solares.

O eflúvio telógeno é uma condição de queda dos pelos dos gatos sem que haja processo inflamatório ou prurido e é mais observada em gatos de abrigo que sofreram de infecções respiratórias, principalmente acompanhadas de febre. Felizmente os pelos voltam a crescer sem que um tratamento precise ser instituído.


Diagnóstico

Existem diversas maneiras de diagnosticar a causa da alopecia nos gatos, mas todas elas exigem um exame clínico minucioso pelo veterinário e exames complementares.

Exemplos de exames complementares são: tricograma, cultura de fungos, raspado de pele, citologia e biópsia.


Atenção

Essas informações não devem ser interpretadas como forma de diagnóstico. Nunca medique seu gato sem orientação veterinária.


Dra. Laila Massad Ribas

Imagem: fundoswiki

FURMINATOR-GATO

Veja mais artigos da dra. Laila no Petiko: