980
LEITURAS

SAÚDE

A verdade sobre toxoplasmose, gatos e gravidez (IMPORTANTE)

Mariana Benitez Fini

Mariana Benitez Fini
20/10/14

Dra. Mariana fala tudo o que você precisa saber sobre a transmissão de toxoplasmose de gatos para mulheres grávidas



Existem muitas (muitas mesmo!) neuras no que diz respeito a animais. Principalmente aos animais que ficam com a gente em casa. Vai desde o “quem tem asma não pode ter bicho” ao “vixi, você tá gravida? Vai correndo doar seu gato, senão você vai pegar toxoplasmose e seu bebê vai nascer sem cérebro!” e, gente, nada é mais irritante para um veterinário do que ouvir essas besteiras. Primeiro porque, bom, é mentira! E segundo porque, meu…as pessoas só ficam achando uma forma de culpar os animais pelos próprios erros e porquices (sim, senhores! Porquices, mesmo!). Aliás, só o termo “porquice” já é um termo infeliz porque está acusando os pobres suínos de serem porcos!

Mas, enfim, hoje vamos desmistificar (uhu! palavra bonita!) a relação gato X gravidez X toxoplasmose.

Bom, vamos por partes (como já diria Jack – o Estripador).

O que é Toxoplasmose?

É uma doença (não, jura?) causada por um protozoário, chamado Toxoplasma gondii, que acomete todos os vertebrados de sangue quente (também conhecidos como “mamíferos e aves”). Nos humanos, os sinais clínicos são: alterações reprodutivas (abortos e má formação fetal) neuropatias e alterações neuromusculares e oculares. Parece do capeta, hein? Mas, calma que piora!

Como eu adquiro essa doença?

Nós, macacos pelados (exceto o Tony Ramos, como sempre), adquirimos o Toxoplasma por forma congênita (passa da mãe para o feto) ou pela ingestão de cistos e oocistos (que são assim, tipo os “filhotes” do Toxoplasma). Não entendeu? Vamos de novo… nós adquirimos o Toxoplasma por forma congênita ou pela ingestão de cistos e oocistos.

Viu algum gato aí? Nem eu!

Então, onde entra o gato nessa história?

O gato, o grande injustiçado nessa papagaiada toda, ficou com má fama por causa de um único motivo: ele é o único hospedeiro definitivo do parasito (hospedeiro definitivo é aquele onde o parasito vai ser feliz pra sempre, crescer, se reproduzir e se aposentar). Os outros animais são hospedeiros intermediários, ou seja, adquirem o parasito, mas este não irá evoluir para formas adultas. O hospedeiro definitivo é aquele que irá soltar os oocistos nas fezes e contaminar o ambiente.

Ahá! Então o hospedeiro definitivo (gato) é o culpado de tudo já que é ele que solta os parasitos do mal nas fezes!

Bom, se você come cocô de gato, realmente, raciocínio certo! Agora, se você não é chegado em picadinho de cocô de gato ou cocô ao molho pardo, pode se infectar de outras formas, ingerindo o cocô do gato em alimentos mal lavados, água contaminada e carne mal cozida. Assim sendo, desta forma, todavia… se você é uma pessoa limpa, asseada e com bons cuidados com a higiene, não precisa se preocupar com o nosso amigo Toxoplasma.

A toxoplasmose é uma doença vinculada aos maus hábitos de higiene e saneamento básico… o gato, coitadinho, é inocente!

Mas, então… e como é a ocorrência da toxoplasmose por aqui?

Lembra que eu falei que piorava? Pois é, então senta, prepara as tripas e continue lendo!
Acontece, caros gafanhotos, que dependendo da região onde você mora, até 97% da população humana pode ser positiva para anticorpos contra toxoplasmose. De novo, de novo? 97% das pessoas têm ou tiveram o toxoplasma! Não acredita? Então “dá uma ligada” nesse estudo aqui! Pânico! Medo! Desespero! Pavor!

Bom, eu devo ser negativo, nunca tive nada…

Pois é, aí entra a segunda parte da história: a toxoplasmose é assintomática. Ooooou seja você não sente lhufas ou, se sente, é no máximo que nem uma “virosezinha” qualquer. O único risco da doença é com os fetos mesmo, depois que você tá nascido, pode ficar tranquilo.

Mas, se 97% de nós somos ‘positivos’, qualquer mulher grávida vai passar a doença pro bebê!

huuummm….não. Só existe risco da doença passar pro bebê caso a mulher nunca tenha tido contato com o toxoplasma (ou seja, não tenha anticorpos anti toxoplasmose) e venha a ter uma infecção aguda durante a gravidez. Se ela tem anticorpos, maravilha, fique sussa, mas mesmo assim tome cuidados pra garantir (vamos chegar neles mais tarde), se não tem nenhum anticorpo, tome cuidados redobrados (e se livrar do gato não é um deles!).

Como eu sei se tenho/já tive essa doença?

Quando se descobre a gravidez, junto com aquele monte de exames vai ser solicitada a sorologia para toxoplasmose. A sorologia procura dois anticorpos (que nós chamamos de imunoglobulinas ou “Ig”, porque somos íntimos!): A IgG e a IgM. Vamos explicar:

  • Se em você foram encontradas IgG’s, parabéns! Você já teve a infecção e está protegidinha! A IgG é um indicador de infecção passada.
  • Se em você também foram encontradas IgM’s, melhor ter cuidado! A IgM é um indicador de infecção recente, logo, você pode estar infectada na fase aguda (o que é a nossa preocupação!). Nesse caso, vai ser solicitado outro exame para confirmação do diagnóstico.
  • OBS importante: se o seu exame veio IgM (positiva) e IgG (negativa) vai ser necessário realizar um novo exame! Não entre em pânico! Na maioria das vezes é um IgM falso positivo!
  • Se em você não foram encontradas nem IgG’s nem IgM’s, cuidados redobrados! Você nunca teve contato com o parasito e entrar em contato com ele agora pode ser desastroso!


E quais são os cuidados que eu devo tomar durante a gravidez?

Na verdade, esses cuidados devem ser tomados sempre, independente de estar grávida ou não!

  • Lave bem frutas e verduras antes de comer
  • Lave as mãos antes das refeições
  • Beba água só filtrada ou, se não for possível, fervida
  • Não coma carne crua ou mal cozida
  • Elimine os roedores (os gatos costumam adquirir o parasito ao comer ratos infectados)
  • Tome cuidado ao limpar a caixa de areia do seu gato, sempre use pá e luvas protetoras (as mulheres grávidas não devem ter contato com a caixa de areia do gato! Assim como na função de trocar fraldas durante o horário da novela, limpar a caixinha do gato também vira atividade exclusiva dos futuros pais!)


E, muito importante: dê muito amor e carinho ao seu gato! E não precisa se preocupar, os “filhotes de toxoplasma” não ficam presos ao pelo nem nada parecido


Ah, sim, mas um coisa que já me perguntaram e eu já deixo aqui pra todo mundo saber:

O fato do gato ser vacinado ou não, não tem NADA a ver com o risco de você “pegar” toxoplasmose. A vacina serve para proteger o gato de DOENÇAS DE GATO!

Dra. Mariana


Cadastre-se no Petiko e veja os prêmios gratuitos que o Petiko tem para seu pet.

Veja mais artigos do Petiko: