Gato Miador x apartamento

Moro em apto, é terreo, E meu Benjamin, nos últimos dias tem miado muito. Parece um miado pedindo pra sair. Saio de manhã e só volto as 7 da noite. Quando chego algumas vezes, saio com ele no condomínio para dar uma volta, só em torno do meu apto, e depois é um sufoco pra colocar ele pra dentro. Tem um gato, não sei se de rua, mas ele esta sempre lá pelo condominio, até dou comida e agua pra ele, e quando ele aparece, meu gato fica doido querendo sair, Nos FDS ele sai, fica na janela vai no jardim e tenta brincar com esse gato quando ele aparece, mas ele é arisco, não sabe brincar, tadinho. Procuro prestar atenção, no meu benjamin, se esta comendo, fazendo xixi e coco, presto atenção no momento que ele faz, pra tentar saber se tem alguma dificuldade, e realmente não aparenta nada grave. Ele tem uma caixa de brinquedos, adora bolinhas de todo tipo. Brinco muito com ele de esconde esconde. Fico muito preocupada com ele, ele sempre foi miador, mas nos últimos dias esta diferente, to pensando em usar floral. Alguém ai tem alguma dica a mais?

curtir 3
  • Oi @BelBenjamin , o que você pode fazer, além dos florais é investir no enriquecimento do ambiente, com brinquedos e arranhadores que possam distraí-lo o máximo possível. O Benjamin é castrado?

    curtir 5

Comportamento Estranho

De um tempo pra cá meu gato começou com um comportamento estranho, ele sobe na cama e começa a "amassar pãozinho", até ai tudo bem, só que ele não para e começa a ficar excitado, roçando na cama. Alguém tem uma explicação pra isso? Obs: Ele é castrado a mais de 4 anos e nunca tinha feito isso antes.

curtir 7
  • Olá Leticia, meu gato tbem faz isso, ele tem 1 ano e 3 meses, castrei ele com 7 meses, e ele já fazia isso antes, achava que depois da castração ia passar mas não passou. Mas penso o seguinte, a castração no gato é diferente da gata, no gato só impede de fazer filhinhos, o que acha?

    curtir 2

Pulos

Oi gente, tenho uma rottweiller que já fez um ano. Ela é muito carinhosa e não é agressiva, mas tem a mania de pular nas pessoas e como é muito grande e pesada acaba por machucar. não sei mais o que fazer para tirar essa mania dela, pois até amigos que estão acostumados com ela já não conseguem mais deter os pulos dela. quem tiver uma dica que possa ajudar, agradeço muito.

curtir 1
  • Oi @luana-moitinho ,
    Quando a Khyra tentar pular, tente virar o corpo para desviar para dificultar ao máximo que ela consiga apoiar as patas em você (ou na visita rsrs). Ignore ela, não grite com ela (ela não vai entender). Se ela conseguir se apoiar em você, não adiantará nada você empurrar ela, ela entenderá como uma brincadeira, você já perdeu.

    Portanto, o melhor a fazer é ignorar e assim que ela se acalmar e ficar com as quatro patas no chão, diga "senta" , aproxime-se dela e faça algum carinho ou presenteie ela com um petisco.

    Ensine ela a ficar sentada sempre que uma visita chegar! Uma maneira é usar um petisco sempre que a campainha tocar ou alguém bater palmas. Nesse caso, ao som da visita, já pegue o petisco favorito dela e faça ela se acalmar enquanto a visita entra, depois foi entrega o petisco. Assim, ela vai entender que quando uma visita chega ela vai ganhar um agrado se ficar comportada.

    curtir 1
  • Rssss... acho que estou mesmo fazendo errado,pois toda vez que ela pula eu brigo com ela ao invés de ignora-la.Vou tentar usar as dicas. Pelo menos tentar, rsss... Depois posto os resultados.

    curtir 2

Mordidas nas brincadeiras

Ola,
Eu adotei a Akyra ela é uma mistura de poodel com border collie...tem 3 meses...gostaria de saber se eh normal ela querer brincar de morder o tenpo todo??? Ela brinca com os brinquedinhos, mas quando vem brincar com a gnt ela gosta de fica mordendo...normal isso?? Uma dica pra ela parar?? Obrigada

curtir 1

Choro a noite..

Pessoal, meu cachorrinho chora mto a noite se não está dormindo no meu quarto, ele é filhote mas não quero acostumar ele a dormir no meu quarto. O que eu faço??

curtir 2
  • Oi Denise...

    Quanto tem faz que você está com ele e quanto tempo dele tem? chorar nos primeiros dias é normal. e você está certíssima! se você não quer que ele durma no seu quarto, não abra excessos, pois depois quando você deixar de permitir, ele não vai entender

    curtir 1
  • Oi Rodrigo, faz três semanas que ele está comigo, ganhei ele e uma fêmea, os dois são filhotes, ambos com dois meses. Ela eh um amor, muito calminha, mas ele eh o maior furacão. E se meu marido ta com ele, não adianta, o negócio dele é comigo, ele tem que ta perto de mim.

    curtir 0
  • Denise, Minha bebe tem 3 meses, veio pra casa com 2 e nunca chorou. Desde o primeiro dia, dei um ursinho pra ela dormir, ela se enrosca nele e não chora nada.. tenta pra ver se da certo..😘😘

    curtir 0
  • coloca um brinquedo de pelucia do tamanho dele com um cobertor ou um pano com o cheiro da mãe,outra coisa boa que funciona é colocar um relogio que faça barulho de tic tac em baixo do cobertor ou perto pra que ele sinta como se foce o batimento do coração. da muito certo nunca deixe totalmente no escuro eles tem medo

    curtir 1

Animais que pressionam a cabeça contra parede ou objetos

"Pressionar a Cabeça" é caracterizado pelo ato compulsivo de pressionar a cabeça contra uma parede ou outro objeto, sem motivo aparente. Isto indica geralmente danos no sistema nervoso, o que pode resultar de uma série de causas diferentes, incluindo a doença prosencéfalo (em que o encéfalo frontal e o tálamo do cérebro está danificado), ou o envenenamento tóxico.
Esta condição seria engraçado se não fosse tão sério.Muitas vezes, é causada por problemas de fígado, explica oMV Grant Nisson, de West River, Maryland. O fígado é responsável pela remoção de toxinas do sangue. Quando ele não está funcionando corretamente, as toxinas ficam no sangue e entram no cérebro. Isso pode fazer com cães e gatos ajam muito estranhamente, pressionar a cabeça contra parede ou objetos, pode ser um dos sinais mais comuns.( veja Shunt portossistêmico (PSS).
Em animais jovens, "pressionar a cabeça" é frequentemente causada por uma derivação do fígado extra-hepática, que é uma anomalia genética em que o fluxo de sangue para o fígado é redirecionada por um vaso sanguíneo anormal fora do órgão, diz Karen Munana, DVM, professora associada de neurologia na North Carolina State University College de Medicina Veterinária em Raleigh. Outros sintomas de uma derivação do fígado incluem salivação, perda de visão, e um crescimento lento durante os primeiros meses.
Nos animais mais velhos, "pressionar a cabeça" pode ser um sinal de cirrose, uma avaria grave do fígado que pode ser causada por dezenas de diferentes problemas, a partir de infecções internas pelo uso a longo prazo de alguns medicamentos. As infecções de ouvido podem causar isso também.
Doenças do cérebro também podem levar a "pressionar a cabeça". Animais com encefalite, por exemplo, desenvolvem a inflamação no cérebro, o que pode levá-los a fazer coisas estranhas, diz Deena Tiches, DVM, uma neurologista veterinária de Gaithersburg, Maryland. Infecções virais como cinomose ou raiva também afetam o cérebro, assim como fazem algumas infecções bacterianas.
Os tumores cerebrais são sempre uma possibilidade, acrescenta o Dr. Tiches. À medida que ficam maiores, eles podem começar pressionando tecidos dentro do cérebro, alterando a forma como ele funciona. Animais com tumores cerebrais podem agir estranhamente, em muitos aspectos, incluindo andar em círculos, bem como pressionando a cabeça.

Diagnóstico
Um procedimento de diagnóstico primário no caso de pressão da cabeça inclui um exame de fundo de olho, o que pode indicar doenças infecciosas ou inflamatórias, bem como revelam as anomalias no cérebro. Outros testes prováveis ​​são medir a pressão arterial para verificar se a mesma está elevada, e tomografia computadorizada (TC) ou a ressonância magnética (RM) do cérebro. O veterinário irá também incluir uma análise de urina (que podem revelar um problema com o sistema metabólico), bem como ensaios de concentração de chumbo no sangue (que podem indicar as toxinas no sistema).
Você vai precisar contar a história completa da saúde do seu animal, o início dos sintomas, e possíveis incidentes que possam ter precedido esta condição.

Tratamento
Os cuidados vão depender dos sintomas que aparecerem e o diagnóstico definido futuramente pelo seu veterinário . Sinais clínicos graves vão exigir hospitalização e tratamento imediato.Causas diferentes necessitam de tratamento diferente, e drogas ou terapias não devem ser administrado até que se tenha um diagnóstico definitivo.

Cuidados
Doenças específicas exigem vários métodos de acompanhamento e cuidados; no entanto repetir exames neurológicos para monitorar o progresso são geralmente o principal requisito.

Consulte seu veterinário se seu animal...
Está pressionando cabeça contra paredes ou objetos
Seu animal de estimação parece doente ou confuso.
Seu animal de estimação começou a rosnar ou morder as pessoas.
Ele entra em pânico em certas situações que antes não o incomodavam
Seu animal de estimação passou a sofrer acidentes em casa (esbarrar, cair).
Ele passa a ser excessivamente possessivo de alimentos ou brinquedos.
Você não pode impedi-lo de latir ou miar.
A voz de seu animal de estimação mudou.
Ele fica obcecado com comportamentos estranhos, como perseguir o rabo ou mordendo seus pés.
Seu animal anda em círculos
A cabeça parece pender para um dos lados
Seu animal de estimação parece deprimido ou apático.
Ele está constantemente a morder, arranhar, ou lambendo a si mesmo.
Ele sempre está com suas pernas afastadas ou em um ângulo estranho.
Fica arcado, mesmo quando ele não está com medo.
Ele parece estar tendo convulsões.
Seu animal de estimação hesita em tomar decisões.
[(10500248_10202930076030730_8873224541917294538_n.jpg 10250084_739850066078199_2501490920085027996_n.jpg link url)

curtir 13
  • 😢😢😢😢 muito triste.. :'/

    curtir 4
  • curtir 0
  • Eu perdi a Lalinha com 14 anos, já velhinha, era vira - lata com fila, que fica como vira - lata tigresa, ela sempre ficava com a cabeça na parede, eu não sabia que isso era uma doença, ela se sentia cansada, morreu na noite de Natal na frente da minha família toda que começou a gritar tendo muitas convulsões, com muita dor, tive que dopar ela pra poder levar ela no veterinário, mas foi tarde de mais, veio a falecer internada em poucas horas :( que dor galera, minha alma doe também de saudades !

    curtir 2
  • Ai meu coração :(

    curtir 0

Tentativa de uso do Sany Cat - Treinar Gato no Vaso Sanitário

Quem me acompanha no grupo GAAO (gatos - ajuda, auxílio e orientação) já tem acompanhado minhas tentativas nessa semana de ensinar os meus gatinhos (Dobby e Alecrim) a usarem o vaso sanitário ao invés da caixa de areia.

Não tenho problemas quanto a areia, inclusive estou planejando um post (#testei) para contar a vocês sobre a areia que tenho usado. Super baratinha e de material orgânico. Apesar de o blog focar mais florais, acho válido compartilhar essa experiência útil do dia-a-dia com vocês. Não vou me delongar mais no assunto da areia, aguardem que esse post está no forninho, quase pronto!

"Gato usar vaso sanitário? Como é essa história?"

Conheço muitos gatos que naturalmente adotaram a privada como banheiro principal. Iam na surdina e faziam as suas necessidades se o dono esquecia a tampa do toilet levantada.
Pesquisando mais sobre o assunto descobri kits que ensinavam a treinar o gato em algumas semanas para usar apenas do vaso sanitário... logo por que não?

Eu atualmente gasto entre R$17 - R$20 reais por mês de areia com meus dois gatinhos e abasteço duas caixinhas de areia tamanho grande. Se eles começassem a usar a privada eu economizaria R$204 - R$240 por ano. Os benefícios não são apenas econômicos, pois aqui vai mais ou menos 3,5kg de areia para o lixo por mês, ou seja, deixar de jogar 42 quilos de areia fora, por ano. Um material que não pode ser usado para reciclar e nem para a compostagem devido a contaminação por fezes e urina. Sem contar a praticidade de nunca mais ter que limpar a caixinha e colocar areia. É só dar descarga normal.

Se os bichinhos se adaptarem, visto que alguns gatos naturalmente fazem as necessidades sem precisar de treinamento, por que não? Econômico, ecológico e prático.

Na teoria parece super maravilhoso, prático... mas ninguém me contou que é difícil educar e muitas vezes dá vontade de desistir no meio do processo! Hahaha Agora é a parte que eu conto para vocês como foi a minha sacrificada primeira semana.

Escolhendo o suporte

Não é segredo para ninguém que no Brasil as coisas costumam ser mais caras e a oferta de coisas boas quase é inexistente ou é para quem pode $$$...
Minhas opções foram Sany Cat da Chalesco e o Sany Cat da Chalesco (risos) por R$75,50 na loja virtual Petlove.
Confesso que pela caixa e propaganda visual eu esperava mais do suporte. Pois foram 75 reais para um suporte de plástico um pouco mais duro que o plástico dos copinhos de festa, com um refil de bandeija (também de plástico) + saquinho de erva de gato (atrativo olfativo) e o manual. É meio que um roubo por uma coisa tão simples...
Hoje navegando pela internet eu descobri que existe uma alternativa... o Gatoalete, que é todo de plástico, com reservatório e custa R$97,77 Se eu pudesse voltar atrás na compra, gostaria de ter optado por esse haha. Deixo a dica, antes de comprar, pesquise opções e pense na possibilidade de algum amigo que está viajando para terras internacionais e se ele poderia trazer um desses mais em conta para você.

Instalando o suporte

 A encomenda chegou rapidinho, no sábado um pouco depois da hora do almoço. As entregas da Petlove tem sido muito rápidas aqui em SP. 

Bom... kit chegou, mãos a obra. Peguei o pedacinho de plástico mais caro da minha vida e despejei a areia.. deixei por uns minutos no lugar da antiga caixinha de areia para eles irem conhecer enquanto eu lia o manual.
Coloquei fita dupla face no assento para dar uma maior fixação no suporte, prendi a tampa com uma outra fita para evitar que caísse em cima deles. Tudo muito simples e fácil, levou uns minutinhos para preparar. Ah e claro, o banheiro ficou inutilizável por humanos enquanto aquele troço estava preso no vaso.
Pequeno e momentâneo inconveniente que segundo minhas esperanças e expectativas era um preço pequeno a se pagar.

Como foi a Primeira Semana

Algumas apostas depois de quem iria usar o vaso primeiro, tive que escolher os dois como ganhadores. O Alecrim se rendeu e fez um xixizão no final da noite e o Dobby estreiou para número dois quando fez um senhor cocô na manhã de domingo. Vale também pontuar que no segundo dia eles estavam passando a unha no assento para tentar enterrar as caquinhas e estavam danificando-o.

Aparentemente estavam se adaptando e fazendo cocô e xixi no suporte, mas a segunda caixa que ficava no quarto da minha irmã foi uma distração e inconveniente. Os bichinhos começaram a ir no quarto dela só para fazer as necessidades e começaram a perder o interesse pelo suporte no vaso. Na terça feira dia 08 o Dobby foi mostrar sua insatisfação fazendo um cocô na pia do banheiro da minha irmã. Me precipitei e apenas tirei o cocô rapidamente e limpei, esqueci que quando o gato faz o cocô fora do lugar tem que pegar o cocô e colocá-lo no lugar que ele precisa aprender a fazer. Também foi o dia que abri o primeiro buraco no suporte.

Na quarta feira fizeram tudo na caixinha de areia que estava no quarto da minha irmã. Depois disso consegui entrar num acordo com a minha irmã e retirar a caixinha de areia de uma vez por todas e ficar apenas com o suporte (que era o correto desde o início). Na quinta feira o Dobby mostrou sua insatisfação novamente e fez um cocô no bidê ao lado do vaso sanitário e hoje fez mais um cocô mas dessa vez no tapete do banheiro. Nesses dois casos eu peguei o cocô e coloquei no suporte, peguei os dois gatos e levei até lá para cheirarem e ver que o cocô agora estava lá e é lá que devem fazer os próximos. O Alecrim tem usado o suporte normalmente. As vezes mia no banheiro antes. Depois desiste e faz as necessidades no lugar correto e sai alegremente para fazer o zulelê felino pela casa.

Hoje (sexta) o Alecrim me deu um motivo para sorrir quando fez um xixi matinal certeiro no buraquinho do suporte! Foi uma alegria enorme, depois de ver três cocôs fora do lugar, vocês não tem ideia da satisfação que senti. (risos)

Ainda hoje (sexta) decidi entrar com os florais. Optei pelo Adaptabilis do Sistema de Minas, que eu já tinha em casa por ter comprado o kit florais PET quando fiz o curso em Setembro na sede da empresa em Itaúna -MG.
Pinguei algumas gotinhas na água, na ração, no Dobby (risos) e na caixinha de areia. Espero que essa segunda semana eu tenha avanços com o Dobby, pois o Alecrim parece já entender o recado. Na pior das hipóteses vou colocar o refil por cima (que não tem buraco) e tentar desde o começo novamente.
Voltando a fórmula floral, vou apresentar para vocês. Essa é a descrição oficial:

Adaptabilis: Fórmula floral para animais em situações de gestação, parto, mudanças no ambiente, perdas, mutilações, apatia ou desorientação. Favorece a adaptação e o aprendizado. Composição: Capsicum, Lavandula, Millefolium, Origanum e Salvia.

Vamos ver como os amadinhos respondem nessa semana e logo venho contar aqui para vocês!

Quem quiser acompanhar também pelo meu blog: http://florparaumbichinho.blogspot.com.br/2015/12/testando-sany-cat-primeira-semana.html

curtir 6

Ajuda para o xixi

A Leia foi resgatada da rua. Quando levei ela pro apartamento percebi depois de um tempo que ela não fazia as necessidades no apartamento. Ela era muito medrosa, então não achei tão estranho. Ela aprende as coisas muito rápido, inclusive ela sabe que a palavra xixi significa sair, prq toda vez que ela fazia xixi na rua eu falava: isso, xixi.

O problema é que as vezes ta chovendo (e ela não sai na chuva, tem medo do guarda chuva) ou eu estou doente, saio de casa e volto tarde e ela fica se segurando. É meio complicado sair de tarde e acabar voltando depois da meia noite e ter que sair na rua deserta com ela...

Já tentei ensinar ela de varias maneiras, começando com ensinando oq era xixi... Tentei jornal, que ela usou como caminha, tentei tapetinho, que ela usou como caminha, tentei aquelas gotinhas com atrativo, tentei colocar ela pra fazer xixi onde minha poodle fazia (na rua as duas competiam e gastavam o estoque em um só lugar de tanto tentar sobrepor), tentei juntar terra onde ela fez xixi e colocar no tapetinho, tentei areia, tentei terra...
Realmente não sei oq fazer, mas me preocupa ela ficar segurando, sem falar de quando deu giardia e ela ficou com diarreia, ela ficava vindo me acordar desesperada de madrugada... Tinha que deixar ela quietinha pra ela ir na cozinha fazer o "estrago" e depois vir com o rabinho no meio das pernas e orelha baixa...
Alguém tem algum outro plano pra ensinar?

curtir 1

Do Trauma para o Acolhimento

Quando falamos na palavra trauma, falamos de uma coisa muito subjetiva, pois o trauma é pessoal, imensurável e intransferível. O trauma significa que algo aconteceu e foi demais para aquele indivíduo suportar - causando uma grande dor e sofrimento. E esse "algo" é sempre variável. Afinal o que eu consigo suportar é diferente das coisas que outro ser vivo pode suportar, por isso que o trauma é sempre pessoal, imensurável e intransferível.

Uma vez que passamos por um trauma, o único "algodão com mertiolate" que pode curar essa ferida na alma é o amor paciente provindo da compaixão e do acolhimento.

No caso dos bichinhos os traumas acontecem com mais frequência que você pode imaginar. As vezes é o próprio abandono à rua, as vezes é sobreviver à um acidente ou atropelamento, uma tentativa de adestração que deu errado e se tornou violenta... e até nos mais simples dos casos como primeira vacina ou apenas os fogos de artifício durante os jogos de futebol e na festa de final de ano. São amplas as causas que podem levar à um trauma e suas consequências.

Veja abaixo o vídeo do resgate da cadelinha, depois nomeada Holly. Tamanho desespero e sofrimento, encontraram um final feliz e amoroso. Em três semanas, Holly já era uma cadelinha saudável e pronta para ser adotada por uma família muito especial.

https://youtu.be/xhLriN3nBdE

A história da pequena Holly é muito emocionante. Ao mesmo tempo que nos mostra o sofrimento de estar abandonada e amedrontada, nos fala do acolhimento, amor e uma nova chance. O nome dado à ela não poderia ser mais perfeito, uma vez que Holly corresponde ao amor, ao sagrado e incorruptível amor. Na terapia floral também temos uma planta chamada Holly (sistema de bach) que nos fornece a essência para restaurar o amor e o sentimento de "somos todos um" dentro do coração.

Star of Bethlehem (Sistema Bach)
Falando na linguagem floral. Uma vez que Holly seria indicado para as pessoas que abandonam os animais (lembrá-las do sentimento de amor e unidade). A indicação para traumas vem também do clássico sistema do Dr. Bach: uma flor branca, simples chamada Star of Bethlehem. Essa essência ajuda a purgar todo o sofrimento da alma e dos pensamentos enquanto também ajuda a preencher (com leveza e conforto) o vazio, o buraco inconsolável, que o indivíduo sente após passar por experiências deveras dolorosas.

Se o seu bichinho apresenta sinais correspondentes com algum trauma, considere oferecer o tratamento com ou em conjunto* com Star of Bethlehem.

Fique atento se o seu bichinho, após alguma experiência (de curto, médio ou longo prazo) ou quando for resgatado, apresentar algum desses sinais:

  • Medo em forma de isolamento e/ou agressividade
  • Desânimo, aparentando estar solitário e triste.
  • Falta de apetite
  • Stress ao ser apresentado à algo que lembre o trauma (as vezes um som, um objeto, etc).

*É aconselhável considerar o contexto da experiência que o animal passou e utilizar outras essências que auxiliem para cada caso. Por exemplo trauma + pavor usaríamos Star of Bethlehem + Rock Rose... já em um caso de dependência afetiva trocaríamos o Rock Rose por Chicory. Cada caso é um caso e na dúvida, não hesite em procurar um profissional especialista em terapia floral para lhe auxiliar.

Correspondentes ao Star of Bethlehem em outros sistemas florais são:

Fringed Violet + Angelsword (Sistema Bush Australiano)
White Fireweed + Northern Lady’s Slipper (Sistema Alaska)
Arnica + Echinacea (Sistema Califórnia)
Ipê Roxo (Sistema Saint Germain)

Alívio e acolhimento pelas flores de Star of Bethlehem

Você já experienciou algum processo de trauma com os seus pets que foi superado? Conte para a gente como foi.

Se você também tem dúvidas, sugestões, opiniões... Não se acanhe, não. Compartilhe-as conosco e vamos conversar e construir boas experiências. ;)

Post Original: http://florparaumbichinho.blogspot.com.br/2015/11/do-trauma-para-o-acolhimento.html

curtir 1

Mordidinhas sem limites

Olá.. Tenho um cachorro de 5 meses (porte pequeno) que não para de morder.. É uma forma de brincar dele, nada para machucar mas não consigo ensinar limites. Não conseguimos nem fazer carinho direito q ele ficadando mordidinhas na mão... Alguma sugestão???

curtir 2
  • Eu li que quando ele morder vc segura o dedo na língua do filhote até ele tentar tirar, faça isso somente quando vc pegar no ato... E quando ele continuar vc tem que afastar ele e ignorar por uns 15min... Tbm eh a fase de troca de dente ainda, e coça muito.. Tenha sempre brinquedos que ele possa morder

    curtir 2
  • Ingrid, essa é a grande brincadeira dele, mas como disse ele precisa aprender os limites, duas dicas: 1.tenha sempre um brinquedo que ele goste em mãos para que vc troque as mordidas no seu braço pelas mordidas no brinquedo. Ignore ele sempre que ele escolher seu braço, não deixe ele achar que estão brincando. Ofereça novamente o brinquedo e vá nesse ciclo até condiciona-lo. 2. A segunda dica é se ele for mais persistente nas mordidas no braço, aperte a lingue dele com seu dedão para baixo qdo ele morder sua mão. Nada muito forte, é apenas para que ele ligue a mordida a uma situação de desconforto. E volte com o brinquedo.
    O segredo é condiciona-lo que a brincadeira é com o brinquedo e não com suas partes do corpo.

    curtir 1
  • Oi Ingrid, já viu esse artigo, aqui do Petiko mesmo: http://petiko.com.br/article/como-fazer-o-cachorro-parar-de-morder-maos

    Parece que foi pensado no seu problema rsrs

    curtir 0

Florais

Meus vizinhos já reclamaram que meu cachorro late demais durante o dia. Ok, eu já vi pela webcam que realmente ele late mas por causa de coisas externas como fogos, crianças gritando e correndo, buzinas, etc.
Pensei em dar um floral pra acalmar meu cão, já que dar um floral pros vizinhos é difícil, mas eles funcionam mesmo?

curtir 5
  • Acho legal dá uma consultado com um veterinário antes, pra garantir!

    curtir 1
  • A veterinária do meu cachorro receitou um por ele ser muito ansioso, mas para ele não resolveu nada. Ela disse que não são com todos que dá certo, mas não custa tentar, mal não vai fazer

    curtir 1
  • Se usar certinho dá resultado sim! Mas tenha em mente que não verá funcionar logo nas primeiras aplicações. Tratamento com florais é algo constante! Eu uso um de hiperatividade para a minha Lola e hoje, depois de 3 meses de uso, observamos mudanças no comportamento dela! Boa sorte :)

    curtir 1
  • Olha, já usei floral em todos os meu bichos e funcionou sim. Recomendo.

    curtir 2
  • A terapia floral funciona sim, mas cada caso é um caso. Da mesma forma que a "fórmula de tpm" do mercado não serve para todas as mulheres. Um dos preceitos da terapia floral é tratar o indivíduo e não a doença/sintoma. Por isso tem que avaliar o comportamento do gatinho, toda a história dele... para ai sim escolher as essências e compor uma fórmula específica para ele ou para aspergir no ambiente.

    Não é todo o veterinário que utiliza/conhece terapia floral e muitas vezes não é só o sistema de bach o mais apropriado. Procure por um terapeuta floral que atenda bichinhos ou um veterinário especializado em terapia floral. :)

    https://www.facebook.com/floralanimal

    Qualquer dúvida estou a disposição. Sou estudante de naturologia e terapeuta floral do sistema de bach, bush australiano e minas.

    curtir 0

Gato que não para quieto em casa

Gente, meu gato fica boa parte do dia na rua, e não me sinto segura com isso, já que ainda não dei as vacinas nele, e ele não usa coleira e tal, as vacinas estou pra dar ainda é a coleira tentei usar como forma de segurança, mas ele perdeu ! Alguém sabe um jeito de fazer o gato ficar mais em casa ?

curtir 3
  • Oi Paty, tudo bem? Olha, o ideal é que você tente colocar telas ou grades. Felinos são exploradores e caçadores... Então na primeira oportunidade de "dar um rolê" eles aproveitam.
    Você mora em casa ou apartamento? Se for em casa, existem algumas outras soluções para colocar sobre os muros, uma espécie de cerca. Não use JAMAIS cacos de vidros sobre o muro.
    Acredito que a primeira coisa é pensar em telas / cercas. =)

    curtir 4
  • Oi Luciano ! Então eu moro em casa, mas é um terreno com 3 casas, quintal grande, dois andares abertos, então nao tem muito aonde colocar cerca ou tela :/

    curtir 1
  • Tente colocar telas nas janelas e portas, já que no pátio não é possível. E para que ele fique mais tranquilo em casa, recomendo o uso de florais, aqui em casa meus gatos só acalmaram com o uso de florais.

    curtir 0

Como ensinar a fazer cocô fora de casa?

Gente, minha menina começou a passear há 2 semanas, mas ainda não sabe que é pra fazer cocô na rua... Quando ela está mais tranquila faz xixi, mas cocô não. Alguma sugestão? Obrigada!

curtir 5
  • isso é com treino viu Luana... quando sua linda for fazer coco no lugar certo, você retribua com um carinho e um 'parabéns', até um biscoitinho, pra ela entender que o melhor lugar de fazer suas necessidades e naquele lugar :)

    curtir 3
  • O Jake adora fazer coco em frente a farmacia kkkkkk eu cato mas fico sem graça

    curtir 2
  • Ela já começou a fazer xixi fora de casa, já é um avanço, neh? rssss Obrigada Vinícius e Tânia! Bjs!

    curtir 2
  • Hoje ela fez cocô na grama!!! Orgulho da mãe! rssss. Obrigada, pessoal! Bjs!

    curtir 3
  • É tudo uma questão de acostumar. Ter horários fixos para levar pro xixi e cocô ajuda bastante. Quando ela fizer na rua, parabenize-a e quando fizer em casa, repreenda e mostre o lugar certo.

    curtir 1

Por que cães correm atrás do próprio rabo? E outras curiosidades caninas!

Correr atrás do rabo

Perseguir o próprio rabo pode ser uma maneira divertida de gastar energia, mas também pode ser sinal de que o animal tem problemas na glândula anal, ou alergia a pulgas, o que o faz tentar alcançar a parte traseira do corpo, seja para se lamber ou se coçar. Se o comportamento for recorrente, o cão pode ter desenvolvido um comportamento obsessivo-compulsivo. Passeios mais frequentes e brincadeiras para gastar energia podem ser tudo o que o peludo precisa, mas não descarte uma visita ao veterinário.

Mil lambidas

Cães nos lambem por uma série de razões: demonstrar afeto, conseguir atenção, reproduzir um comportamento aprendido em matilha, quando a mãe e os filhotes se lambem bastante, ou ainda, para interagir como uma espécie de “tato”, já que a língua pode ser usada como ferramenta sensorial. Mas você pode estar apenas saboroso mesmo, com gosto de suor ou de água do mar, por exemplo.
Cabeça torta

Já parou para pensar o que há por trás daquele olhar compenetrado que o seu cachorro faz, movimentando a cabeça de um lado para o outro? Pois ele pode estar justamente prestando atenção, processando o que está sendo dito, em busca de palavras familiares que já decorou, como “passear”, “bola” e “comida”. Cães não entendem o que falamos, eles aprendem várias palavras, mas não entendem frases. É muito importante trabalhar com comandos e palavras curtas. Quando ouvem algo do tipo “O que você fez?”, não é ao significado da frase que reagem, mas à entonação de nossa voz, nossa expressão facial e corporal.

Monta

Cães montam uns nos outros muito mais para demonstrar dominância ou para chamar atenção, do que por instintos sexuais. Basta ver como cães castrados continuam apresentando o comportamento. E mesmo a dominância raramente é o motivo. Na maior parte das vezes, ele só está agitado e quer chamar atenção. Ignore o comportamento e, como outros comportamentos ignorados, ele tende a desaparecer.

curtir 7

Terapia Floral para os Animais de Estimação!

Todo ser vivo precisa de amor

Assim como nós, os animais passam por dificuldades que lhes causam distúrbios emocionais. Para eles, a terapia floral também funciona como um bálsamo.
Perceber as emoções, os sentimentos e comportamentos dos animais como semelhantes aos dos homens é algo de fácil identificação. Bata olhar a tristeza em que ficam quando distantes dos seus donos, a atitude defensiva que assumem quando alguém se aproxima de sua prole ou, raiva se sua história de vida foi marcada por agressões e abandono. Essas são algumas das características que Eunice Parodi observa nos animais confinados em abrigo do Centro de Controle de Zoonoses, na capital paulista, onde trabalha como médica veterinária. “Foi por esse motivo que decidi fazer uso das essências florais, que não têm efeitos colaterais, no tratamento de cães e gatos. Aliás, assim que eles chegam, essa é a medida mais importante a tomar para minimizar os danos provocados pelos maus-tratos”, diz ela. “Por 30 dias, período relacionado à adaptação ao novo ambiente, às cirurgias de esterilização e ao tratamento de ferimentos, introduzo dois florais: Impatiens, para lidar com a impaciência, e Holly, para sentimentos de raiva”, explica Eunice, que é também proprietária da Veterinária São Francisco, em São Paulo.

A segunda etapa é trata-los com florais específicos para medo, carência, solidão, hiperatividade, irritação e agressividade. “Os resultados são efetivos depois de três meses do uso diário das essências. Temos vários casos de cães que chegam muito tristes e, depois dessa fase, já estão brincando e prontos para ser adotados por outras famílias”, afirma a veterinária.

Além de tratar os comportamentos negativos, os florais são usados até mesmo como complemento para cuidar de lesões da pele, como a sarna – aplicados com pulverizador ou em forma de gel e creme. “Também empregamos borrifadores de ambiente para acalmar os cães mais agressivos, o que facilita o trabalho dos cuidadores”, diz Eunice. E complementa: “A terapia floral pode ainda ser utilizada em animais silvestres, como papagaios, macacos e tucanos”.

A bióloga Luciana Giusti, proprietária do pet shop Animal Flower, em São Paulo, que fabrica e comercializa produtos naturais para bichos, diz que o mercado de florais nesse segmento vem crescendo a cada ano. “Percebo uma mudança maior, principalmente nos últimos dois anos. Hoje, eles são facilmente encontrados em clínicas veterinárias e pet shops. Os mais conhecidos e os preferidos dos veterinários, enfermeiros e profissionais da área de saúde são os florais de Bach”, explica ela, que é também acupunturista. Sobre o sucesso da aplicação, Luciana faz uma ressalva: “O segredo é saber analisar o comportamento do animal para dar a essência floral correta. Não há contraindicação, o que existe é uma indicação errada. Por isso, muitas vezes é importante procurar a ajuda de um terapeuta floral”, avisa Luciana.

Foi o que a tradutora Juliana Freitas fez para tratar uma atitude atípica da sua gata Valentina, 4 anos. “Procurei ajuda porque ela começou a fazer as necessidades fora da caixa e, também, porque estava ansiosa e estressada depois que passou por uma cirurgia de hemorroidas”, explica. A gata foi adotada em 2010, quando ainda era muito pequena, e, ao recebe-la, Juliana foi informada pela equipe da Organização Não Governamental Adote um Gatinho de que ela já tinha feito uma cirurgia de fratura da costela. “Ela era muito carente da minha atenção, me seguia o tempo todo pela casa”, conta Juliana. Tudo isso foi relatado ao terapeuta floral, que indicou as essências Chicory, para carência, e Star of Bethlehem para somatória de tramas físicos que ela viveu e, dessa forma, ajudar na sua recuperação. “Em janeiro deste ano, começamos a colocar algumas gotas dos florais no filtro de água dela. No mês seguinte, Valentina parou de fazer as necessidades fora da caixa e a dependência que tinha comigo diminuiu muito. Continuo dando o Chicory até hoje, e ela não me procura constantemente como fazia antes”, comenta Juliana.

O encanto que o floral desperta em boa parte das pessoas, quando a essência tomada é a adequada para a emoção que se quer tratar, tem uma explicação. “É o que se chama de Lei dos Opostos. Para casa emoção ou estado mental negativo, existe uma essência que traz a virtude oposta, como medo e coragem, tristeza e alegria e ansiedade e calma. Os florais são capazes de curar emoções, transformando um padrão negativo em positivo”, afirma Luciana Valentim, terapeuta floral da empresa Bioenergética. Segundo ela, as queixas mais comuns relatadas pelos donos de cães são: agressividade, ansiedade, medo, carência, solidão, hiperatividade, defecar nos lugares errados, estresse e pseudociese (gravidez imaginária). “Para todos esses sintomas, há um tratamento adequado. Até mesmo os animais agitados, briguentos, que rosnam, atacam facilmente e têm medo de tomar banho podem se beneficiar com o uso dos florais”. É por esses motivos que a terapia floral atrai cada vez mais adeptos – sejam eles homens ou animais. Afinal, somos todos seres vivos e compartilhamos de emoções e sentimentos semelhantes.

Texto por Elaine Leme retirado da Revista Essência da Healing nº 1, pág 16
Healing Essências Florais

curtir 4

Minha cachorrinha não gosta de pessoas nem de cachorros ;(

Oi gente, minha menina tem 5 meses e começou a descer para a rua apenas há 2 semanas, mas tem muito medo de tudo, principalmente de pessoas e outros cachorros. Já me disseram que é normal na idade dela, mas ela não deixa ninguém chegar perto, entra em desespero. O que eu posso fazer? Obrigada!!! Bjs!

curtir 1
  • Olá Luana, tudo bem? Acho que o ideal é você a começar um processo de socialização dela. Essa fase de medo é normal... O que deve ser feito agora é trabalhar isso. Existe algumas ações que você mesma pode fazer, é o que chamamos de Socialização Ativa, em breve falaremos sobre isso no Petiko. =)

    curtir 5
  • Obrigada, Luciano! Li sobre isso e vamos tentar socializar ela com um cachorro tranquilo primeiro, antes de levá-la a uma creche para filhotes. Aguardo o artigo. Obrigada e bjs!

    curtir 0
  • Apresentamos ela a um grupo de cachorros tranquilos da nossa quadra primeiro e ela ficou receosa, mas queria brincar. Depois levamos à creche canina para interagir com cachorrinhos menores e filhotes e em dois dias ela já está muuuuito melhor, aceitando outros cachorros e até chamando para brincar. O próximo passo é com pessoas, pq ela está um pouco arredia e latindo para pessoas ainda. =)

    curtir 0

Minha cachorrinha destrói tudo, o que fazer?

Não tenho idéia de como tratar isso :(

curtir 4
  • ela é filhote? pq se for, acho que é normal de todo filhote mesmo fazer isso rsrsrsrs

    curtir 1
  • Também tenho esse problema e a minha já tem mais de 1 ano!
    Já li sobre darmos a bronca de forma correta e nunca corrermos atrás dela quando ela está com o objeto errado na boca, porque ela vai entender isso como brincadeira. Também devemos elogiar quando ela pegar o brinquedo correto, incentivando que ela o use, ao invés de pegar objetos da casa!

    curtir 1
  • O Hulk tbm era um destruidor...kkkkkkkk...mas acho que eh fase mesmo, enquanto ele era filhote. Agora esta bem mais tranquilo. Acredito que ofertar alguns brinquedinhos a mais e dedicar uma horinha brincando ( e cansando...kkkkkk) o bichao ja deve resolver. Ahhh, guarde sempre o brinquedo preferido(o dele era uma bolinha que fazia barulho qdo mordia) e oferte qdo estiver brincando com ele.

    curtir 0
  • Na fase de filhote isso é comum, pois é uma forma de coçar os dentes, mas pode virar uma brincadeira para eles, e isso se torna prejudicial.

    Tente ler este artigo e praticar.
    http://www.tudodecao.com.br/cachorro-mordendo-tudo?utm_source=wysija&utm_medium=email&utm_campaign=tdc2

    curtir 1
  • Oi Vinicius, o que pode ajudar é vc ficar de olho e quando ela fizer isso, imediatamente dar um um brinquedo de morder ou osso para ela se distrair. Assim ela acostuma e toda vez que quiser roer, já vai direto nos brinquedos e ossos. Não se esqueça de supervisionar quando ela tiver com o osso. Bjs.

    curtir 0

Dicas para deixar o cachorro em casa sozinho

Um problema bem comum... Lá em casa a gente até deixa de viajar pro Pingo não ficar sozinho...

Todo mundo diz que deixar uma camiseta com o cheiro do dono ajuda... no nosso caso nunca fez muita diferença... Mesmo assim ele sempre deu trabalho, alguém mais tem esse problema?? Alguma sugestão de solução??? Vamos compartilhar...

curtir 4
  • O cão precisa aprender aos poucos que ir viajar e ficar um tempo sem o dono não vai matá-lo. O que não pode acontecer é o dono deixar de viver por causa do comportamento do cão. O que precisa ser verificado é se o dono, mesmo sem querer, não está reforçando esse comportamento de dependência do cão. Ele deve entender que tem hora pra tudo, pra brincar, pra comer, pra ir dormir e pro dono sair e viajar, sem maiores dramas. É um trabalho que deve ser feito aos poucos. A camiseta é uma dica, mas a TV ligada ou um rádio ou até um boneco de pano usando a camiseta com o cheiro do dono ajudam.

    curtir 0
  • Em casa, tinha um problema de os cães latirem com ruídos no hall quando eu saia de casa. Resolvi o problema facilmente com o auxílio de uma adestração/socialização.
    Você pode tentar ir acostumando o cão aos poucos à ausência das pessoas. Mas acho que, dependendo da situação, uma ajuda profissional vai te ajudar horrores. =)

    curtir 0
  • Na verdade no começo era mais tranquilo... O problema começou quando ele foi ficando mais velho (em setembro ele faz 15 anos)... As duas últimas últimas vezes que viajamos, mesmo um familiar (mas não morador da casa) ficando em casa ele vomitava e não comia...

    Outra coisa... de dia é tranquilo deixar ele o tempo que for... mas se for a noite os vizinhos não conseguem ficar em paz... ele chora e uiva a noite toda...

    curtir 1
  • Uma coisa legal que vc pode fazer é deixar um brinquedo interativo com ração ou petiscos dentro para ele brincar, isso ajuda a diminuir a ansiedade e eles adoram. Depois que se cansam, tiram uma sonequinha e depois recomeçam. Existem diversos tipos, mas o que a minha mais gostou foi uma bolinha de plástico duro que eu chamo de bolota. Ela brinca com a bola até a ração acabar e quando acaba começa a correr disparada, só brincando mesmo, e até na nossa presença, ela adora. Além disso, deixe muitos brinquedos pela casa, ossos para ele procurar.... Ele precisa de diversão e desafios enquanto vcs não estão em casa, senão pode começar a roer móveis e aprontar pra chamar atenção. Acho que vale a pena. Espero ter ajudado ;)

    curtir 0

Estraga as coisas

ola, preciso de ajuda, tenho uma Shih tzu, ela fica a maior parte do tempo sozinha no apartamento, e ela gosta de estragar as coisas, principalmente meu sofá, não sei o que fazer ela só estraga quando não estou em casa.

curtir 2

PORQUE MEU GATO ME LAMBE TANTO

o Oliver é um doidão que de vez em quando, todo dia, acorda pela madrugada e fica andando em cima de mim ou fazendo um barulho que nem é miado nem é grunhido, é um gemido e depois começa a me lamber como um doido.... ele lambe demais, é normal?!

curtir 1