60 curiosidades sobre gatos. Sei que pode parecer tendencioso, mas devo dizer que nós os gatos somos animais inteligentes, muito amorosos; numa única palavra: únicos. Deixo aqui algumas curiosidades desvendadas, para que nos conheça ainda melhor.

gato-rindo-5.jpg

curtir 1

60 curiosidades sobre gatos. Sei que pode parecer tendencioso, mas devo dizer que nós os gatos somos animais inteligentes, muito amorosos; numa única palavra: únicos. Deixo aqui algumas curiosidades desvendadas, para que nos conheça ainda melhor.

  1. Em média um gato passa 2/3 do dia a dormir. Isso significa que em 9 anos de vida, apenas está acordado 3 anos.
  2. Os gatos não saboreiam o doce.
    3.Quando um gato persegue uma presa, ao contrário de um cão ou humano, mantém a cabeça sempre para baixo.
  3. As bolas de pelo que vomitamos chamam-se egagropilos.
  4. As gatas tendem a ser dextras, enquanto os gatos tendem a ser maioritariamente esquerdinos.
  5. Um gato faz cerca de 100 sons diferentes, enquanto um cão faz cerca de 10.
  6. O cérebro de um gato é biologicamente mais similar ao de um humano do que o cérebro de um cão. 8. Ambos, humanos e gatos, têm uma região idêntica no cérebro responsável pelas emoções.
  7. Existem mais de 500 milhões de gatos domésticos no mundo, e aproximadamente 40 raças reconhecidas.
    10.O gato doméstico mais antigo foi encontrado numa sepultura no Chipre com mais de 9000 anos.
  8. De acordo com uma lenda hebraica, Noé rezou a Deus para o ajudar a proteger a comida dos ratos na arca. Deus fez um Leão espirrar, e desse espirro nasceu o gato.
  9. A audição de um gato é melhor do que a de um cão. Um gato consegue ouvir sons de alta frequência, cerca de 2 oitavas acima de qualquer humano.
  10. Um gato consegue correr a 49 km por hora, em curtas distâncias.
  11. Um gato salta 5 vezes a sua altura num único salto.
  12. Alguns gatos já sobreviveram a quedas de 20 metros, devido ao reflexo de endireitamento. Os seus olhos, os órgãos e ouvido interno, dizem ao gato onde é que ele está no espaço, para que ele consiga aterrar em pé. Mesmo os gatos sem cauda possuem esta capacidade.
  13. Um gato roça num humano não apenas para mostrar afeto, mas também para marcar o seu território, devido ao odor que as glândulas à volta da sua face libertam. A cauda e as patas também têm o mesmo odor do gato.
  14. Os cientistas não têm a certeza porque é que um gato ronrona. Muitos veterinários acreditam que um gato ronrona fazendo as suas cordas vocais vibrar na zona mais profunda da garganta. Para isto ser possível, um músculo na laringe abre e fecha a passagem do ar 25 vezes por segundo.
  15. No antigo Egito, quando um gato morria, a família mostrava a sua tristeza rapando as sobrancelhas.
  16. Cada gata, em média, dá à luz entre 1 a 9 gatos de cada vez. A maior ninhada até hoje foi de 19 gatinhos, mas apenas 15 sobreviveram.
  17. Atualmente, o maior felino selvagem é o Tigre Siberiano, que tem mais de 3,6 metros de comprimento e pesa mais de 300 kg.
  18. Na Austrália e no Reino Unido, os gatos pretos são sinal de boa sorte.
  19. A raça mais popular de gatos é a persa, seguida pela Maine Coon e Siamesa.
  20. A raça mais pequena de gatos é a Singapura, que pesa cerca de 1,8 kg.
  21. A raça maior de gatos é a Maine Coon, em que um gato pode pesar cerca de 12 kg.
  22. Alguns gatos siameses parecem estrábicos devido aos nervos que se localizam do lado direito do cérebro e que vão maioritariamente para o seu olho direito, e os nervos do lado direito do seu cérebro vão maioritariamente para o olho esquerdo. Isto provoca uma visão dupla, que o gato tenta corrigir, cruzando a visão.
  23. Os gatos normalmente não gostam de água, porque o seu pelo não isola bem o calor quando está húmido. No entanto, a raça Van Turco, uma variação do Angorá, oriunda da Ásia Central, possui um pelo com uma textura única que o torna resistente à água.
  24. Um gato tem geralmente 12 bigodes em cada lado da face.
  25. A visão de um gato é melhor e pior do que a de um humano: é melhor porque os gatos conseguem ver mais em ambientes mais difusos, e têm uma visão esférica superior. É pior porque não conseguem ver a cor tão bem como os humanos. Os cientistas acreditam que os gatos veem a erva em tom vermelho.
  26. Os pequenos tufos de pelo nas orelhas de um gato servem para manter a sujidade fora, direcionar sons para o ouvido e isolar as orelhas.
  27. A capacidade de um gato encontrar a sua casa é chamado de “psi-viagem”. Os especialistas acreditam que os gatos usam o ângulo da luz do sol para encontrar o caminho, ou que existem células magnéticas no seu cérebro que atuam como uma bússola.
  28. O maxilar de um gato movimenta-se em ambos os sentidos, para que um gato possa mastigar pedaços maiores de comida.
  29. Um gato quase nunca mia para outro gato, apenas a humanos. Os gatos apenas cospem, ronronam e silvam a outros gatos.
  30. As costas dos gatos são extremamente flexíveis porque têm mais de 53 vértebras, enquanto os humanos apenas têm 34.
  31. Cerca de 1 em cada 3 donos de gatos acreditam que o seu gato consegue ler a sua mente.
  32. A paixão por gatos chama-se ailurofilia, que advém do grego (gato + paixão).
  33. No Japão, acredita-se que os gatos têm o poder de se tornarem em espíritos mais elevados quando morrem.
  34. A maioria dos gatos tinha pelo curto até cerca de 100 anos atrás, quando começou a ficar na moda ter gatos e experimentar produzir raças de gatos.
  35. Os gatos têm 32 músculos que controlam o ouvido externo, enquanto os humanos têm apenas 6.
    38.Um gato pode rodar a sua orelha em 180 graus.
  36. O motivo pelo qual os gatinhos dormem mais é devido à hormona de crescimento, que apenas é ativada durante o sono.
  37. O gato registado com mais peso chamava-se Himmy, era um gato tigrado da Queensland, Austrália e pesava 21 kg.
  38. Um gato tem cerca de 130,000 pelos por cm2.
  39. Um gato, em média, pode viver até aos 20 anos, o que equivale a cerca de 100 anos humanos.
  40. O gato que mais anos viveu até hoje foi o Crème Puff de Austin, Texas, que faleceu 3 dias depois do seu 38º aniversário.
  41. A primeira banda desenhada de um gato surgiu em 1919 e chamava-se Félix o Gato.
  42. A temperatura normal de um gato ronda os 38º e 39º C. Um gato está doente se a temperatura estiver abaixo de 37º e acima de 39º C.
  43. Um gato tem 230 ossos no seu corpo. Um humano apenas tem 206.
  44. Um gato não tem clavículas, por isso, consegue passar em qualquer local que a sua cabeça também passe.
  45. O padrão do nariz de um gato é único, tal como a impressão digital de um humano.
  46. Algumas das comidas que nunca devem ser dadas a um gato são: cebola, alho, tomate verde, batata crua, chocolate, uvas e passas. Embora o leite não seja tóxico, pode causar irritação no estômago, gases e diarreia.
  47. Medicamentos como o paracetamol e a aspirina são extremamente tóxicos para os gatos, tal como grande parte das plantas que existem em casa.
  48. Dar a um gato comida humana ou de cão pode causar má nutrição e provocar doenças.
  49. Um coração felino bate quase 2 vezes mais rápido do que o de um humano: cerca de 110 a 140 batidas por minuto.
  50. Os gatos não têm glândulas sudoríferas no seu corpo como os humanos têm. Em vez disso, suam pelas patas.
  51. Em apenas 7 anos, um par de gatos e os seus rebentos podem dar origem a mais de 420.000 gatinhos.
  52. Um gato passa cerca de 1/3 do seu dia a limpar-se.
  53. Um gato adulto tem 30 dentes. Um gatinho bebé tem apenas 26 dentes temporários, que perde até aos 6 meses de idade.
  54. Os gatos são extremamente sensíveis às vibrações. Um gato deteta um tremor de terra cerca de 10 a 15 minutos antes de um humano.
  55. Nos anos 30, cientistas biólogos russos descobriram que a cor dos gatinhos siameses mudava dependendo da sua temperatura corporal. Os gatos siameses têm os genes do albinismo, que são ativados apenas quando a sua temperatura corporal estiver acima dos 36,6º C. Se estes gatinhos estiverem num local mais quente, ficarão com uma cor mais esbranquiçada.
  56. O gato mais rico do mundo chama-se Blackie, à qual foram deixadas 15 000 000 libras pelo seu dono Ben Rea.
  57. Todos os gatos têm unhas. As unhas das patas traseiras de um gato não são tão afiadas como as das patas dianteiras, porque as unhas das patas traseiras não são retráteis, logo gastam-se mais.
curtir 1

Novidades de primavera OSSO moda pet

10722598_385759248240752_419948108_o.jpg

curtir 2

O maior cachorro do mundo

Com 1,12 metros das patas até os ombros medindo até 2,26 centímetros, Zeus é uma polegada (2,5 centímetros) maior que o antigo recordista de maior cachorro do mundo, Giant George, que também era da raça Dogue Alemão.

Essa raça é conhecida por seu tamanho, podendo chegar a ter 1 metro ou mais de altura e pesar até 80 quilos, mas de comportamento tipicamente gentil. Zeus, o mais novo “Maior cachorro do mundo” tem apenas 3 anos de idade, 70,3 quilos e come, em média, 10 quilos de comida por dia.

Apesar de seu tamanho, Zeus tem uma convivência tranquila com os membros da família e outros animais com quem convive. Para ter uma boa noção do tamanho dele, Zeus é tão grande que consegue beber água da torneira da pia da cozinha normalmente, sem ter que ficar sobre duas patas nem se apoiar em nada.

curtir 8

Você sabia?

1)Um cachorro adulto tem 42 dentes
2)O olfato canino é 1 milhão de vezes melhor do que o dos humanos
3)Castrar seu cachorro pode ajudar a prevenir alguns tipos de câncer
4)Se não for castrada, uma cachorra pode ter 66 filhotes em 6 anos
5)A audição canina é 10 vezes melhor do que a dos humanos
6)Em média, um cachorro pode correr 30 km/h
7)Os cães são mencionados 14 vezes na Bíblia
8)O nariz de cada cachorro é único, assim como nossa impressão digital
9)A temperatura canina gira em torno de 38ºC
10)As únicas glândulas sudoríparas que os cachorros têm estão entre seus dedos das patas
11)Os cães são onívoros, eles precisam comer mais do que apenas carne
12)Comparado com os humanos, os cachorros têm o dobro de músculos na orelha
13)Os cachorros serão submissos a qualquer um que se mostrar superior
14)As pessoas têm cães como bichos de estimação há 12 mil anos
15)As cachorras carregam seus bebês na barriga por 60 dias antes deles nasceram
16)É um mito dizer que os cachorros não enxergam cores, eles podem ver cores, mas em tonalidades diferentes do que vemos.
17)Obesidade é o problema de saúde mais comum nos cachorros
18)70% das pessoas assinam o nome de seus animais de estimação nos cartões de natal

curtir 9

Cachorro mais "gordo" do mundo

Uma raça bem conhecida para a maioria das pessoas, a dachshund, ou os pequenos salsichas, tem entre eles também o cão considerado o mais gordo do mundo! Quem diria que uma raça tão pequena seria dona desse recorde.

O pequeno, que se tornou o cachorro mais gordo do mundo, já teve o peso em 35 quilos, de uma raça que chega a, aproxidamente, 14 quilos em seu "peso ideal". É bem mais do que o dobro que o grande Obie carrega nas costas.

Morando com seus donos em Oregon, nos Estados Unidos, o grande Odie era sempre bem tratado, com sua cara de dó, o casal de idosos que eram seus donos acabavam dando comida demais para o pet gorducho,que acabou sendo doado uma mulher chamada Nora Vanetta que já amava os animais e resolveu colocar Obie em um regime, para ver se consegue recuperar sua saúde e colocá-lo em boa forma, até porque o peso já atrapalha até seu bem-estar, Obie mal consegue andar carregando tanto peso.

curtir 3

Transporte de animais e infrações

Código de Trânsito Brasileiro

No Código de Trânsito Brasileiro há previsões de proibições de certas formas de transportar animais em veículos particulares. Alguns exemplos abaixo:

Artigo 252: é proibido transportar o animal entre o banco do motorista e o banco do passageiro, ou entre o banco e a porta, ou até mesmo no colo do motorista. Praticar tal ato é considerado uma infração média e a pena é uma multa, além da perda de quatro pontos na carteira de motorista.
Artigo 235: é proibido transportar externamente o animal. Pode soar estranho, mas há quem, estando dentro do carro, conduza o cão pela guia, que está do lado de fora ou ainda prende gaiolas em cima do teto do carro. Essa conduta é considerada como uma infração grave e resulta em multa e perda de cinco pontos na carteira de motorista. Se for o caso de transportar o animal em uma caixa de transporte animal adequada, na traseira de uma caminhonete, por exemplo, é permitido desde que a caixa esteja bem fechada e presa.

curtir 3

Grupo 8 - Retrievers, Levantadores e Cães D'agua

Retrievers, Levantadores e Cães D'água - Algumas das raças deste grupo, o oitavo das classificações caninas, figuram entre as mais populares em todo o mundo.

Originalmente, os retrievers, ou recuperadores de caça, são os cães responsáveis em buscar a presa abatida e trazê-la ao caçador. Os levantadores de caça são aqueles cães que também desempenham a função de espantar a presa para que possa ser avistada à distância.

Algumas destas raças enfrentam facilmente qualquer tipo de terreno, como por exemplo a maioria dos spaniels. Outras tornaram-se especialmente aptas a realizarem trabalhos na água, como o Cão D'água Português, o Barbet, entre outras.Criadas para desempenhar diversas funções nos trabalhos de caça, ao longo do tempo estes cães também tornaram-se conhecidos por serem capazes de trabalhar em outras atividades com maestria.

Devido à notável facilidade de adestramento e ao excelente faro, algumas destas raças de cães retrievers, levantadores e cães d'água, como o Golden Retriever, o Labrador, entre outras, são utilizadas nos dias de hoje em importantes funções, como cães guia, farejadores e cães de salvamento.

curtir 5

Grupo 11 - Cães de raças não reconhecidas

Este grupo não tem seções, já que ele agrupa uma série de raças que ainda não foram reconhecidas pela FCI (Fédération Cynologique Internationale), logo eles não têm nenhuma característica em comum. é um grupo composto por nove raças e quatro são raças brasileiras.

Grupo 11: Raças não reconhecidas pela FCI

American pit bull terrier

Ovelheiro gaúcho
Barbado da Ilha Terceira
Boerboel, Bulldog americano
Bulldog campeiro
Cão de gado transmontano
Dogue brasileiro
Ovelheiro gaúcho
Veadeiro pampeano
Staghound americano

curtir 3

Grupo 10 - Cães Lebréis

Cães Lebreis (galgos) - O nome Lebrél deriva de "lebre", e foi atribuído a este tipo de cão, talvez por serem grandes velocistas, assim como o pequeno animal silvetre, ou talvez porque a caça à lebre tenha sido uma das funções que no passado eram confiadas a muitos cães deste tipo.

As raças deste grupo sempre representaram a aristocracia das raças caninas. Durante séculos, os cães Lebreis, também chamados de Galgos, foram companheiros de príncipes e soberanos. Como costuma acontecer, as origens deste grupo canino são remotas e muitas as teorias propostas. Seja como for, descendam de uma origem comum e única ou de origens diversas, todos os lebreis apresentam as mesmas características físicas. Com aparência elegante, focinho comprido e afilado, patas longas, peito estreito e profundo, músculos fortes, além de excepcional visão, os lebréis são verdadeiras máquinas de corrida.

Os lebreis são apreciados hoje em dia principalmente como cães de companhia e de luxo, embora algumas raças deste grupo continuem sendo utilizadas para funções de caça, corrida e ainda outras atividades esportivas.

curtir 2

Grupo 9 - Cães de Companhia

Os cães de companhia são cães que pouco trabalham, proporcionando apenas companhia como um animal doméstico, ao invés de fazer tarefas específicas com algum propósito importante.

curtir 2

Grupo 7 - Cães Apontadores

Cães Apontadores - Os cães de mostra, ou cães apontadores foram desenvolvidos com o a intenção de se criar um cão apto a auxilar o caçador na chamada caça moderna, ou seja, a atividade de caça com a presença de armas de fogo.

O cão apontador pode ser definido como aquele que é capaz de mostrar ao caçador quando adverte a presença da presa, isto depois de haver explorado atentamente o terreno, seja muito extenso ou pouco vasto. Percebendo a presença da presa, este tipo de cão permanece imóvel como uma estátua, tensionando cada músculo do corpo, demonstrando sua total atenção, com a cauda vibrante e apontando com o focinho em direção a presa.Dentre as raças mais conhecidas no grupo dos cães apontadores estão os setters e os pointers, raças pertencentes a seção dos pointers e setters britânicos e irlandeses.

Também bastante difundidas na Europa, estão a raças de cães como os bracos e os perdigueiros, que fazem parte da seção das raças de apontadores do tipo continental.

curtir 1

Grupo 6 - Cães Sabujos e Farejadores

Cães Sabujos e Farejadores - O sexto grupo das classificações das raças caninas reune os sabujos e os cães farejadores. Estes cães apresentam excepcional resistência física, além de inigualável olfato e capacidade de perseguição.

Mais do que qualquer outro cão, os sabujos conservaram o instinto para o trabalho coletivo, isto é, em matilha, típico, ainda hoje de muitos canídeos selvagens. Enquanto outras raças acenturam a individualidade, muitas vezes em prezuizo de seus instintos gregários, os sabujos e farejadores manifestaram específicas condições psíquicas que lhes tornam mais fácil a convivência entre os seus semelhantes.Embora estes cães farejadores sejam considerados ainda hoje especializados nas funções de caça, muitas das raças deste grupo tornaram-se ao longo do tempo capazes de desempenhar outras funções. O Bloodhound por exemplo é utilizado com sucesso como cão policial, enquanto outras raças deste grupo como o Beagle e o Basset Hound são considerados maravilhosos cães de companhia.

curtir 1

Grupo 5 - Spitz e Cães do Tipo Primitivo

Spitz e Cães do Tipo Primitivo - O Spitz e outras raças do grupo 5, conhecidos também como cães nórdicos ou de cães de tipo primitivo, apresentam mais coisas em comum do que a região de origem.

A vasta pelagem dupla, as orelhas de forma triangular e o rabo pontudo, geralmente dobrado acima do dorso são apenas algumas das similaridades destas raças de cães, que compartilham ainda a aparência e o comportamento semelhantes aos dos lobos.

Em geral são raças de cães muito resistentes ao frio e a longas caminhadas, e também muito fortes, como por exemplo o Akita, o Husky Siberiano e o Malamute do Alaska, capazes de executarem trabalhos de tração, pastoreio e até guarda e rebanhos.Estes cães adaptam-se melhor em climas frios, amam a baixa temperatura e são aptos a se locomoverem com facilidade na neve.

Os cães do quinto grupo das classificações das raças são em geral muito dóceis, sociáveis e não gostam de viver sozinhos, preferindo sempre a vida em matilha. Apesar de inteligentes, são cães considerados independentes e por vezes um pouco teimosos, mais indicados para proprietários experientes.

curtir 1

Grupo 4 - Cães Dachshunds

Cães Dachshunds - O quarto grupo das classificações das raças de cachorros reune os três tipos de bassets alemães, conhecidos como "Dachshund" ou "Teckel". Embora sejam considerados raças independentes, possuem um único padrão oficial.

Originalmente os Dachshunds são conhecidos como cães de toca por natureza. Devido ao apurado olfato e seus dotes físicos, desempenham as funções de caça de toca com extrema aptidão. Apesar de conhecermos os Dachshunds como afetuosos e inteligentes cães de companhia, na Alemanha e na Inglaterra, ainda hoje, são utilizados para caçar animais de toca.

A característica física mais marcante dos dachshunds, é a visível desproporção entre o corpo alongado e os membros curtos, típicos dos bassets alemães. Destacam-se ainda pelo apuradíssimo olfato, que lhes permitem seguir a mais tênue das pistas.

curtir 1

Grupo 3 -Cães Terriers

Cães Terriers - O termo terrier provém da palavra latina "terra" que define os cães destinados a caçar em terra, ou seja, na toca.

Embora muito debatida, há muito tempo acreditava-se na teoria de que todos os terriers tiveram origem na Grã-Bretanha. Hoje, especialistas inclinam-se a acreditar, que os antepassados da maioria dos terriers foram levados às ilhas inglesas em épocas anteriores à nossa era e, embora cães idênticos permanecessem na Europa continental e em outras partes do mundo, distintas circunstâncias favoreceram a evolução das variedades estabelecidas na Grã-Bretanha.

Por serem pequenos, resistentes e, portanto, fáceis de se manter, além de serem úteis nas diversas atividades de caça de toca, os cães terriers eram, em tempos não tão distantes, criados principalmente por pessoas de poucos recursos.Os Terriers modernos são às vezes muito diferentes dos seus rústicos antepassados.

A popularidade que obteve uma ou outra raça, muitas vezes não dava tanta importância às suas habilidades como caçadores do que à beleza da pelagem e demais caprichos da moda, como cor, posição das orelhas e da cauda, etc. Mas apesar destes caprichos humanos, um verdadeiro cão terrier, de qualquer raça que seja, possui as mesmas qualidades físicas e psíquicas que os tornaram populares há quase 2 mil anos.

curtir 1

Grupo 2 - Cães de Guarda,trabalho e utilidade

Cães de Guarda, Trabalho e Utilidade - Apesar de haver um grande número de raças que pertencem a este grupo canino, pode até mesmo parecer um número pequeno se levarmos em conta que não existe cão que, por instinto, não vigie a casa ou que não reaja ao ver o dono sob alguma ameaça.

Na verdade, neste segundo grupo das raças caninas, a Cinofilia internacional procurou reunir sobretudo aquelas que cumprem tradicionalmente as funções de cão de guarda e defesa desde tempos distantes, e também as chamadas raças de utilidade, isto é, os cães trabalhadores, que exercem com boa aptidão diversas atividades que auxiliam o homem.

Fazem parte deste grupo canino as raças que participam nas exposições das chamadas "provas de trabalho" e que são classificadas pelos aspectos físicos e psíquicos requeridos pelos respectivos padrões.

Entre os cães de guarda e de defesa encontramos os cães de montanha e os mastins, descendentes dos antigos molossos, entre eles os cães de montanha dos Pirineus, os São Bernardos, os Berneses, os Terranovas entre tantos outros.

Também fazem parte do grupo dos cães de guarda e trabalho, as raças germânicas altamente especializadas como o Rottweiler, o Boxer e o Dobermann.

curtir 1

Grupo 1 - Cães Pastores

Cães Pastores e Boiadeiros - Não é difícil imaginar que, ainda em tempos remotos os pastores sentiram a necessidade de proteger os seus rebanhos, tanto dos ataques de animais selvagens, quanto do próprio homem, e que pensaram em solucionar estes problemas recorrendo aos cães, que provavelmente já eram utilizados na caça e proteção de propriedades.

Era necessário, porém, que estes cães pastores apresentassem um tipo físico específico. Deveriam ser fortes e velozes, particularmente resistentes às intempéries e longas caminhadas, e que tivessem uma pelagem clara, para que pudessem ser facilmente identificados em meio ao rebanho, mesmo à noite.

A seleção natural e a domesticação produziram esses cães ainda em tempos antigos, com origem provável no continente asiático, e é plausível afirmar que os primeiros exemplares tenham chegado a Europa acompanhando os mercadores fenícios, que usavam esses cães como objeto de troca.
Outras hipóteses propostas são que esses cães teriam seguido às legiões romanas que voltavam das expedições ao Oriente, ou ainda migrado à Europa com os Cumanos, povo de origem tártara, que no século XI, vencidos pelos Mongóis, retirou-se da região da Moldávia até a Hungria.

Graças à excepcional inteligência, vigor físico e notável resistência, os cães pastores e boiadeiros de hoje exercem ainda inúmeras outras funções além de suas tarefas tradicionais.

curtir 1