As razões para manter seu gato em casa.

Quando adotar um de nós, passa a ter a responsabilidade de nos manter em segurança e de boa saúde – este é o seu grande compromisso!

Licença:
CC Attribution-NonCommercial 2.0
Autor:
Nikos Koutoulas
Quando adotar um de nós, passa a ter a responsabilidade de nos manter em segurança e de boa saúde – este é o seu grande compromisso!

Alguns donos sabem que manter o seu gato dentro de portas é o mais seguro, embora outros não gostem de negar a liberdade que pode existir fora de portas. Para quem acredita que o seu gato deve ser deixado em liberdade, sem restrição alguma, considere os seguintes motivos para escolher manter o seu gato dentro de portas.

  1. Estará atento a problemas urinários e de saúde intestinal

Quando os gatos se habituam a fazer as necessidades fora de casa, e não há caixa de areia, não será possível perceber se existe algum problema, como o gato ter necessidade de urinar ou defecar com dificuldade. Muitos gatos sofrem de infeções urinárias, e não conseguem urinar porque o trato urinário fica bloqueado. Ao observar a dificuldade de urinar ou defecar ou encontrar muco ou sangue nas fezes ou na urina, será um grande alerta de que algo se passa com o seu amigo.

  1. Um gato de interior está mais protegido de muitas doenças mortais

Os gatos que andam fora de casa, muitas vezes contraem parasitas e doenças bem sérias que apenas apanham se estiverem em contacto com outros gatos, ou andarem na rua. Por exemplo:

FeLV (Leucemia Felina) – doença mortal
PIF (Peritonite Infeciosa Felina) – doença imune mortal
Panleucopenia (Cinomose Felina) – sintomas semelhantes ao envenenamento com taxa de mortalidade de 80%
FIV (Imunodeficiência Felina) – doença mortal
Zoonoses (doenças animais transmissíveis aos humanos)
Sarna (Ácaros) – o seu gato pode trazer para casa ácaros nas orelhas que podem ser a causa de doenças perigosas
Pouco mencionado, mas os gatos também sofrem de câncer de pele devido à sobre-exposição solar. Os gatos de pelagem clara podem desenvolver carcinoma, que é uma doença bem séria.

  1. O seu gato não será atropelado

Todos os anos há mais gatos mortos por atropelamento do que eutanasiados. Por muito cuidado que tenha, nem um condutor mais prudente consegue evitar um atropelamento de um gato que lhe passe a correr à frente.

  1. Estão protegidos de cães e de animais selvagens

Os gatos de rua estão sujeitos aos perigos dos predadores selvagens, como as aves de rapina. Matilhas de cães ou cães de maior porte podem ver um gato como uma presa, e atacá-lo; afinal o instinto pode falar mais alto. Um gato nestas situações não tem muita hipótese de defesa, especialmente se tiver as unhas aparadas.

  1. Os seus vizinhos não ficam chateados

Pessoas que não gostam de gatos não toleram que o gato do vizinho use o seu jardim como caixa de areia, podendo oferecer alimentos envenenados, atirar com objetos, e matar ou magoar seriamente o seu amigo felino. Um gato em casa está seguro e livre de más pessoas. Os gatos na rua são alvos fáceis para más pessoas, especialmente para pessoas que odeiam gatos.

  1. Não se ferem em lutas

Os gatos são animais territoriais, e defendem o seu território, por vezes até à morte... Este tipo de lutas resultam normalmente em ferimentos graves, por vezes mortais. Estas lutas são fontes de contágio de doenças mortais como a Imunodeficiência Felina devido às ferradelas de outros gatos, que já sofrem desta doença.

  1. Os gatos dentro de casa também podem fazer exercício

Os gatos são animais que necessitam de exercício, por isso, é importante mantê-los ativos, dispondo brinquedos, arranhadores, ginásios, e lhes dar sempre atenção com brincadeiras como cordéis a arrastar pelo chão ou fios com penas, brinquedos recheados de erva gatária (catnip) para lhes despertar o interesse. Isto tudo é bem melhor do que fugir de cães, ou lutar com outros gatos. No entanto, poderá habituar o seu gato a passear de trela (arnês de gato) na rua. Não será a mesma experiência como passear com um cão, nem espere isso. Tem de dar tempo ao tempo, e habituar o seu gato ao arnês e ao passeio regular. Poderá ver um exemplo muito engraçado do gato Óscar.

  1. Não são uma ameaça para a vida selvagem

A realidade é que os gatos são animais predadores, e que perseguem ratos, pássaros, e outra vida selvagem de menor porte. Ninguém gosta de ver o seu gato como um predador, especialmente quando ele trás para casa um passarinho morto como presente para si. Desta forma ajudará a proteger um bocadinho a vida selvagem.

  1. Não se perdem ou são raptados

Ao fazer o reconhecimento do seu território, o seu gato pode perder-se e ser levado por outra pessoa que lhe achou graça, ou até pelo gatil. Mesmo que tenha coleira, esta pode sempre rebentar, ou não ter identificação. Um gato com microchip não tem a garantia que não possa ser adotado por outra pessoa que o encontre. Então porquê arriscar?
Gatos de rua são muitas vezes levados para laboratórios de testes em animais, para fazerem experiências. Outras pessoas roubam gatos para atirar nas lutas de cães, e para treinar estes. Não quer dizer que isto aconteça com muita frequência, mas é sempre um risco.

  1. Não morrem de frio no inverno

Os gatos sofrem muito com o frio, e uma tempestade, ou baixa de temperatura repentina pode levar à morte por hipotermia, especialmente à noite. Proteja o seu felino!

curtir 4