6.9k
LEITURAS

DICAS,SAÚDE

Cuidados com o gato no inverno

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas
13/07/15

Uma das maiores especialista em felinos do Brasil, dra. Laila, fala dos cuidados que você deve ter com seu gato no inverno.



Uma das coisas que os gatos mais gostam de fazer é dormir em uma cama quentinha e macia e, em época de frio, eles podem passar mais tempo ainda embaixo de uma boa coberta.

Para que os bichanos continuem confortáveis no inverno é preciso ficar atento com alguns cuidados. Apesar da grande maioria possuir uma boa camada de pelos, eles sentem frio sim e merecem cuidados especiais.


Prevenindo o frio

Dentro de casa é preciso providenciar um local isolado e quentinho para o gato dormir, evitando cômodos muito gelados. Uma caminha própria para gatos ou cães pequenos pode ser comprada em qualquer petshop em diferentes tamanhos, formatos e valores, mas a boa e velha caixa de papelão substitui muito bem a cama industrializada. Além de serem facilmente adquiridas em supermercados, as caixas ajudam na retenção do calor corpóreo, são descartáveis e são a escolha número um dos felinos. Independentemente do tipo de caminha, é preciso sempre colocar uma manta ou coberta para manter o gato ainda mais quentinho.


Para os bichanos que têm acesso à rua é fundamental providenciar um local de entrada na casa que seja de fácil acesso para o gato, dessa maneira previne-se que ele fique preso para fora por muitas horas. Existem mini portas basculantes especiais para animais que podem ser instaladas na porta de entrada que ajudam especialmente nos passeios noturnos. Não se esqueça também de recolher a caixa sanitária nos dias mais frios, caso essa fique do lado de fora da casa.

Roupinhas somente são indicadas em gatos sem pelos, como os da raça Sphynx, por exemplo, porque a maioria não gosta de usar roupas. É bastante comum que os gatos caiam de lado ou fiquem paralisados quando colocamos roupinhas neles, mas se o seu gato gosta então não há contra indicação.


Além de dormir em caminhas macias e quentinhas os gatos também adoram tomar sol, especialmente em dias frios, mas apesar de ser uma boa fonte de calor deve se ter cuidado com a exposição excessiva, pois esses animais, especialmente os de pelagem branca, podem desenvolver câncer de pele. Apesar do frio e das nuvens, os raios solares continuam causando danos à pele. Passar protetor solar e limitar os horários de pico, que são entre 10h e 15h, ajudam na prevenção.

Para quem tem aquecedores de ambiente em casa é preciso cuidado com a umidade do ar, que fica ainda mais baixa quando esses equipamentos são ligados. Providencie bacias com água ou toalhas úmidas para melhorar a umidade e prevenir problemas respiratórios.


Hipotermia

Quando a temperatura de um gatinho está muito baixa suas extremidades ficam mais frias, pois possuem menor aporte de sangue. Colocar as mãos nas orelhas e patinhas ajuda a identificar uma queda importante na temperatura corporal. Isso é mais comum nos animais que têm acesso à rua, pois dentro de casa eles sempre buscam se aquecer nas caminhas, cobertores ou nos próprios tutores. Se o gato passar muitas horas na rua e retornar com as extremidades frias é recomendado fornecer uma fonte de calor, como secador de cabelo, lâmpada amarela ou bolsa de água quente, mas muito cuidado com queimaduras.

Se a fonte de calor não for suficiente para aquecer o gato, pode ser necessário atendimento médico veterinário.


Dica

A temperatura corporal média de um gato é de 38,5º C, ou seja, mais alta que a nossa temperatura, que é em média de 36,5º C. Por causa disso, seu gato deve sempre ser mais quentinho que você. Se ele estiver com uma temperatura igual à sua ao toque é provável que ele esteja em hipotermia.


Idosos e Filhotes

Os gatinhos nos extremos das idades podem sentir mais o impacto do inverno, especialmente nas regiões mais frias. Esses animais merecem atenção redobrada na prevenção da hipotermia, porque possuem maior dificuldade em regular a temperatura do corpo.

Gatos idosos frequentemente têm artrose, um processo de degeneração das articulações e que dói mais no frio. Os animais com dor nessas regiões costumam evitar de subir em superfícies mais elevadas. Fique alerta se notar esse comportamento no seu gato e coloque sua caminha, vasilhas e caixas sanitárias no chão. Se o gatinho dorme na cama com o tutor é recomendado providenciar uma pequena escada ou algo que faça as vezes disso para que ele possa subir na cama sem ter que saltar.

Filhotes órfãos possuem maior risco de hipotermia do que aqueles que ficam direto com a mamãe, por isso as fontes de calos citadas devem ser utilizadas nesses casos. Uma dieta mais calórica própria para gatos pode ser fornecida por um veterinário para esses animais.


Acidentes no inverno

Alguns cuidados devem ser levados em consideração para prevenir acidentes com locais aquecidos, porque é frequente que os bichanos busquem esses locais para se aquecer. Lareiras raramente causam problemas, mas os filhotes podem se acidentar ao se aproximar demais. Na cozinha é recomendado abaixar a tampa do fogão após utilizá-lo, para prevenir queimadura das patinhas de quem possa subir para se aquecer. Na sala de televisão também é frequente os gatos deitarem sobre equipamentos eletrônicos, como aparelhos de DVD ou decodificadores de TV à cabo, podendo tomar choque.

Finalmente um acidente comum ocorre dentro dos veículos, pois os gatos podem entrar no motor do carro para se aquecer. A dica é sempre buzinar o carro nos dias frios para que o gato saio antes de dar a partida, especialmente se o carro ficou parado na rua durante a noite.


Doenças no frio

Uma das doenças mais comuns nessa época é a rinotraqueíte ou complexo respiratório viral felino. Isso porque os vírus se manifestam em baixas de imunidade e, nos períodos mais frios, isso pode acontecer com os gatos. Sintomas como secreção nos olhos e nariz e espirros são indicativos da doença e exigem atendimento médico veterinário. Para prevenir esses problemas basta levar o gatinho para ser vacinado.

Gatos com asma ou bronquite podem piorar em épocas de frio também, devido à uma diminuição do lúmen dos brônquios (nos pulmões) em baixas temperaturas, causando desconforto respiratório e tosse.


Banhos no frio

Banhos já são pouco indicados de uma maneira geral nos gatos, pois podem causar muito estresse, exceto quando há indicação médica para o banho. Nessa época, ademais, é recomendado que evite lavar os gatos em casa, porque a temperatura do corpo deve baixar mais ainda. Se o banho for de extrema necessidade é imprescindível que o animal seja seco com toalha e secador de cabelo.


Curtindo o inverno

Os gatos também podem ser uma boa fonte de calor aos tutores, por isso se você sofre no inverno é recomendado passar algumas horas encostadinho no seu gato e aproveitando o calor de seu corpinho. Esse contato não só aquece os corpos como melhora a afinidade e o relacionamento entre gato e homem.




Dra. Laila Massad Ribas

Imagem da capa: petitecurie

box do petiko

Veja mais artigos da dra. Laila no Petiko: